Em Montevidéu, uruguaios dizem que perderam 'de cabeça erguida'

Torcida uruguaia em Montevidéu
Image caption A multidão sofreu com as emoções da partida

Apesar da derrota da seleção do Uruguai para a Holanda e da eliminação do país na Copa do Mundo da África do Sul, os uruguaios disseram que o time "perdeu com a cabeça erguida".

Quando o jogo terminou, muitos ficaram em silêncio, em frente aos telões na Praça Independência, em Montevidéu.

Ali, uma multidão, com bandeiras e tambores, tinha se concentrado desde cedo, vestindo camisetas da seleção, bonés e casacos, nas cores azul, branco e amarelo.

O país tinha parado. Até a realização dos casamentos tinha sido antecipada para antes do início da partida, como informou a imprensa uruguaia.

'Dignidade'

No fim do jogo, alguns torcedores, com rostos pintados, deixaram a Praça Independencia, sem fazer comentário enquanto outros gritaram "Uruguai, Uruguai" e sacudiram as bandeiras do país.

Nos bares do centro da capital uruguaia, a reação foi semelhante. No terceiro gol da Holanda contra o Uruguai, eles também ficaram em silêncio. E depois saíram gritando o nome do país.

Pouco depois, uma torcedora disse que a "derrota foi com a cabeça erguida". Outro afirmou que "esta seleção entrou para a história". Foi a primeira vez em quarenta anos que a 'Celeste', como é chamada, chegou às quartas de final num Mundial.

O presidente do país, José 'Pepe' Mujica, disse que o Uruguai "perdeu, mas com dignidade e estamos felizes por isso".

O ministro do Interior, Eduardo Bonomi, afirmou que "o principal é que os uruguaios estão contentes" e que voltaram para casa "cantando".

O jornal uruguaio Observador escreveu na manchete de seu site que "a celeste caiu de pé" e no texto, recorda-se que desde 1970 a seleção não está entre as quatro melhores do planeta, disputando agora o terceiro lugar com Espanha ou Alemanha.

"A seleção uruguaia ganhou, novamente, o respeito do mundo", escreveu. O jornal El Pais, da capital uruguaia, publicou que acabou a "odisséia" da seleção.

Numa coletiva, o técnico Oscar Tabárez disse que "mesmo com tristeza foi satisfatório".

Segundo ele, se tivesse sido possível "escolher a forma de perder, teria sido esta". Para eles, os jogadores mostraram "garra" em campo, mas o adversário "acertou mais o gol".

País com três milhões de habitantes, chamado carinhosamente por seus habitantes de 'paisito' (diminutivo de país), o Uruguai era o único país da América do Sul nesta etapa da Copa, tendo avançado mais que os favoritos Brasil e Argentina.

Notícias relacionadas