Ataques suicidas matam pelo menos 20 no Irã

Refugiados afegãos em Zahedani
Image caption A região tem um grande número de refugiados do Afeganistão

Um duplo ataque suicida teria deixado pelo menos 20 mortos e cerca de cem feridos nesta quinta-feira em uma mesquita no sudeste do Irã, segundo a mídia do país.

A imprensa iraniana diz que o ataque do lado de fora da mesquita xiita de Jamia, na cidade predominantemente sunita de Zahedan foi executado primeiro por um homem-bomba vestido de mulher, antes da explosão de um segundo suicida.

O ataque foi realizado em um meio a uma multidão por volta das 21h50 (horário local, 13h50 de Brasília).

"O homem-bomba, vestido de mulher, tentava chegar ao interior da mesquita, mas foi impedido", disse o parlamentar Hossein Ali Shahriari à agência de notícias estatal iraniana Irna.

"Quando as pessoas vieram ajudar os feridos na primeira explosão, outro homem-bomba detonou seus explosivos. O primeiro ataque matou pelo menos três ou quatro pessoas", disse ele.

O vice-ministro do Interior iraniano, Ali Abdollahi, afirmou que a primeira explosão atingiu um posto de checagem da Guarda Revolucionária, que está completando o 31º aniversário.

O grupo insurgente sunita Jundallah, assumiu a responsabilidade pela explosão por meio de uma declaração em sua página na internet. O governo do Irã executou o líder do grupo insurgente, Abdulmalik Rigi, em junho.

No passado, o grupo Jundallah assumiu a responsabilidade por outros ataques à alvos xiitas na província iraniana do Sistan-Baluquistão, cuja capital é Zahedan.

A cidade fica próxima às fronteiras com o Afeganistão e o Paquistão.

Notícias relacionadas