Entenda os novos casos de infanticídio na França

Dominique Cottrez
Image caption Cottrez disse que seu marido não sabia dos assassinatos

O caso da mulher detida na França sob a acusação de ter sufocado oito filhos recém-nascidos chocou o mundo.

Dominique Cottrez foi indiciada por ter confessado os infanticídios entre 1989 e 2006.

Abaixo, a BBC Brasil esclarece alguns dos pontos envolvendo o caso.

Como as mortes foram descobertas?

As ossadas de dois bebês foram descobertas quando os novos proprietários da casa que pertenceu aos pais da acusada escavaram o quintal para a construção de uma piscina.

A polícia chegou então a Dominique Cottrez, que havia vendido a casa. Ela então confessou ter sufocado oito bebês que teve quando ainda eram recém-nascidos.

Os restos dos outros seis bebês foram descobertos dentro de sacos plásticos na casa onde Cottrez vive com o marido há 17 anos.

Quem é acusada?

Vizinhos de Dominique Cottrez em Villers-au-Tertre, próxima a Nille, a descrevem como uma pessoa “quieta” que participava pouco da vida da pequena comunidade de cerca de 700 habitantes.

A assistente de enfermagem de 45 anos é casada, tem duas filhas com mais de 20 anos de idade e insiste que o marido, um carpinteiro integrante do conselho local, não sabia dos assassinatos.

Ela nasceu e cresceu na vila, segundo o jornal local La Voix du Nord. A imprensa francesa diz que as filhas ainda vivem na região.

Obesa, com cerca de 130 kg, ela diz que escondeu suas gestações do marido por causa de seu tamanho.

Após ser interrogado, Pierre-Marie Cottrez foi liberado. Segundo o prefeito da vila, Patrick Mercier, o marido é “um tipo decente e bem-intencionado”.

Por que ela teria cometido os assassinatos?

Um policial envolvido no caso disse que Cottrez teria alegado que não queria mais filhos nem visitar um médico para conversar sobre métodos anticoncepcionais.

Seu primeiro parto teria sido difícil por causa do excesso de peso e por isso ela não desejava ver um médico.

Houve outros casos semelhantes no país?

A ocorrência de infanticídios não é nova na França moderna, que registrou diversos casos nas últimas décadas.

Em março, uma mulher foi condenada a oito anos de prisão após ter confessado o assassinato de seis de seus filhos, escondendo os corpos no sótão de sua casa em Valognes, no noroeste francês.

Em 1984, um casal em Correze, no centro do país, foi condenado por ter matado sete filhos recém-nascidos durante um período de sete anos.

O que diz a ciência sobre esses casos?

Especialistas dizem que episódios de infanticídio geralmente envolvem mulheres que se recusam a aceitar o fato de que estão grávidas.

Notícias relacionadas