Iraque teve mês mais violento em mais de 2 anos

Iraquiana reage a ataque a bomba (arquivo)
Image caption Sensação de incerteza tem elevado violênica, dizem analistas

O mês de julho foi o mais violento no Iraque em mais de dois anos, segundo estatísticas mensais divulgadas pelo governo iraquiano.

Foram registradas 535 mortes em conseqüência de ataques a bomba e outras formas de ataque, com mais de mil pessoas feridas.

Estes são os piores resultados desde maio de 2008, quando pouco mais de 560 morreram em mortes violentas.

Analistas dizem que os níveis de violência têm voltado a crescer no país desde as eleições parlamentares de março, que ainda não chegaram a um resultado definido. Os dois principais grupos não obtiveram votos necessários para governar sozinhos, e ainda não chegaram a um entendimento sobre uma nova coalizão.

O pleito do dia 7 de março terminou com a vitória da coalizão liderada pelo ex-premiê Iyad Allawi, que conquistou 91 cadeiras no Parlamento. Já o bloco do atual primeiro-ministro iraquiano, Nouri Al-Maliki, conquistou duas cadeiras a menos.

No entanto, ambos os grupos ficaram bastante aquém dos 163 parlamentares necessários para formar um governo.

Números

Segundo a site independente www.iraqbodycount.org, cerca de 100 mil civis morreram no país de mortes violentas desde a invasão do país por forças lideradas pelos Estados Unidos.

Atualmente os EUA têm 65 mil americanos no Iraque, número de que deve ser reduzido para 50 mil a partir de 1º setembro.

Segundo os termos de um entendimento entre os governos americano e iraquiano, as tropas americanas devem deixar o Iraque até o fim de 2011.

Notícias relacionadas