Homens são condenados por tentativa de ataque a aeroporto de NY

Abdul Kadir
Image caption Kadir trabalhou por anos no setor de carga do aeroporto

Um ex-deputado de Guiana e um cidadão americano também nascido na Guiana foram considerados culpados nesta segunda-feira de tentar realizar uma explosão no aeroporto JFK, em Nova York.

A promotoria disse que, se bem-sucedido, o ataque que pretendia explodir tanques de combustíveis para as aeronaves poderia ter sido maior do que os ocorridos nos EUA em 11 de setembro de 2001.

Russell de Freitas, de 66 anos, ex-trabalhador de carga do aeroporto e Abdul Kadir, 58 anos, negam as acusações.

Eles foram presos em 2007 após um informante da polícia ter gravado conversas por cerca de um ano na qual o plano foi exposto e justificado por eles como sendo uma forma de vingança contra o que eles diziam julgar ser injustiças americanas contra muçulmanos.

Inconsequência

O informante, condenado em um outro caso de tráfico de drogas, concordou em conquistar a amizade dos acusados para investiga-los, em troca de uma sentença mais branda e passar a receber salários do governo federal.

A Defesa descreveu os acusados como bravateiros inconsequentes que não teriam condições de realizar o plano e foram manipulados pelo informante.

"Kadir teve que defender-se de mais do que apenas evidências... existe uma atmosfera de medo neste país, dos muçulmanos, do Islã e de terroristas, especialmente em Nova York", disse o advogado de Kadir.

Os advogados dos acusados disseram que pretendem apelar da decisão.

A promotoria diz que os acusados esperavam matar milhares de pessoas e aplicar um duro golpe na economia americana.

O plano seria, segundo a Acusação, explodir as tubulações subterrâneas do aeroporto e de um bairro vizinho, no Queens. Os homens teriam buscado apoio de militantes islâmicos para concretizar a operação.

As sentenças devem ser proferidas no dia 15 de dezembro.

Notícias relacionadas