Tiroteio com libaneses ocorreu com israelenses em suas fronteiras, diz ONU

Soldados israelenses/AP
Image caption Israel diz que o comunicado confirma a versão de seus militares

Os soldados de Israel estavam no lado israelense da fronteira com o Líbano quando entraram na terça-feira em confronto com militares libaneses, disse nesta quarta-feira um porta-voz das Forças de Paz da ONU na região, a Unifil.

O Líbano disse que os soldados israelenses invadiram seu território, o que teria levado ao início dos choques que mataram três soldados libaneses e um jornalista do país, além de um militar israelense. Israel vinha negando a acusação libanesa.

Segundo a Unifil, quando houve o tiroteio, os soldados de Israel estavam podando uma árvore que ficava no lado israelense da fronteira, o que também é diferente do alegado pelas forças libanesas.

"A Unifil estabeleceu que a árvore que estava sendo cortada pelo Exército israelense estava abaixo da Linha Azul (fronteira internacionalmente reconhecida entre os dois países), do lado de Israel", disse um comunicado da entidade.

Leia mais na BBC Brasil: Líbano anuncia aumento de tropas na fronteira com Israel

Analistas israelenses advertem para 'terceira guerra do Líbano'

ONU

Image caption Libaneses participam de comício em apoio ao líder do Hezbollah na terça

A Unifil disse que o governo libanês teria algumas "reservas" a respeito da Linha Azul nessa área, mas que ambos os lados se comprometeram em obedecer as decisões da ONU a respeito.

Israel elogiou a declaração da Unifil, dizendo que ela ratifica sua versão do ocorrido.

Na terça-feira, o Conselho de Segurança da ONU expressou "profunda preocupação" com o incidente e pediu calma aos dois lados.

Por sua vez, o líder do Hezbollah disse que, se ocorressem mais choques na fronteira, o grupo militante libanês entraria no conflito.

O tiroteio foi o pior incidente de violência entre israelenses e libaneses desde 2006, quando as forças de Israel lançaram uma ofensiva contra o Hezbollah no Líbano.

Notícias relacionadas