Pentágono exige que site devolva documentos secretos sobre Afeganistão

Imagem do site Wikileaks (Getty Images/Arquivo)
Image caption Governo dos EUA alega que vazamento compromete segurança

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos exigiu nesta quinta-feira que o site Wikileaks não divulgue mais nenhum documento sobre a guerra no Afeganistão e devolva cerca de 15 mil arquivos em seu poder que ainda não foram publicados.

Na semana passada, o site divulgou mais de 70 mil documentos secretos sobre a guerra, que foram então publicados na imprensa internacional.

“O Departamento de Defesa exige que o Wikileaks devolva imediatamente ao governo dos Estados Unidos todas as versões de documentos obtidos diretamente ou indiretamente de bancos de dados ou registros do Departamento de Defesa”, disse o porta-voz Geoff Morrell.

“Esses documentos são de propriedade do governo dos Estados Unidos e contêm informações confidenciais e sensíveis”, afirmou.

Documentos

Os documentos divulgados cobrem o período de janeiro de 2004 a dezembro de 2009 e traziam, entre outros dados, informações sobre mortes de civis causadas por forças americanas.

Os arquivos continham também acusações de envolvimento do serviço de inteligência do Paquistão com o grupo extremista Talebã no Afeganistão – alegação negada pelo governo paquistanês.

O episódio é considerado o maior vazamento de documentos secretos na história militar dos Estados Unidos e, segundo o governo americano, pode ameaçar a segurança das tropas do país e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), além de colocar em risco aliados e parceiros afegãos.

“A divulgação pública pelo Wikileaks, na semana passada, de um grande número de nossos documentos já ameaçou a segurança das nossas tropas, dos nossos aliados e de cidadãos afegãos que estão trabalhando conosco para ajudar a trazer paz e estabilidade a esta parte do mundo”, disse o porta-voz do Departamento de Defesa.

“A divulgação pública de novas informações confidenciais do Departamento de Defesa só iria agravar os danos”, afirmou.

“A única conduta aceitável é que o Wikileaks tome medidas imediatamente para devolver todas as versões desses documentos ao governo americano e apagá-los permanentemente de seu website, seus computadores e registros”, disse Morrell.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet