Rússia

Fotos mostram Rússia sob nuvem de fumaça

Rússia sob cinzas

  • Praça Vermelha, Moscou, enviada por Oleg Tatkov
    Leitores enviaram à BBC Russia fotos da vida sob a nuvem de fumaça que cobre o país desde meados de julho. Nesta imagem, do leitor Oleg Tatkov, a nuvem muda a paisagem do maior cartão-postal de Moscou: a Praça Vermelha.
  • Metrô de Moscou, usuário camerakid no site Live_Journal
    No fim-de-semana, moscovitas podiam ser vistos no metrô usando máscaras de gás, segundo as orientações das autoridades. Esta foto foi postada pelo usuário camerakid em uma comunidade de leitores do site BBC Russia (www.bbc.co.uk/russian)
  • Moscou, usuário Ottenki Serogo no site Live_Journal
    Na mesma comunidade, o leitor Ottenki Serogo postou esta imagem de moradores da capital russa tentando combater o calor banhando-se em uma piscina inflável. A piscina foi providenciada por um morador, enquanto outro forneceu a água.
  • Metrô de Moscou, enviada por Darya Nabiyeva
    A fumaça é gerada por incêndios florestais que apareceram em todo o país. Atribuída à onda de calor, a taxa de mortalidade diária em Moscou dobrou em relação a três semanas atrás. Nesta foto de Darya Nabiyeva, um garoto não parece satisfeito com a situação.
  • Moscou, usuária kate_goria no site Live_Journal
    As máscaras antigás viraram artigo valioso e seu preço até aumentou. A concentração de monóxido de carbono em Moscou está o dobro do considerado aceitável.
  • Catedral de Smolny, São Petersburgo, foto do leitor Vyacheslav
    Situação semelhante a Moscou vivem outras partes da Rússia. O leitor Vyacheslav enviou esta foto de um dos edifícios mais importantes de São Petersburgo, a Catedral de Smolny, por volta das 21h no horário local.
  • Cheboksary, leitor Yura Fedorov
    Entretanto, Yura Fedorov, de Cheboksary, insiste que a nuvem de fumaça não mudou totalmente a vida dos russos. Este casal manteve a sua cerimônia de matrimônio e celebrava apesar da paisagem de verão longe do ideal.
  • Palazna, leitor Yura Fedorov
    O leitor Pavel enviou esta foto do vilarejo de Palazna, nos montes Urais. Ele diz que nunca imaginou que ia sentir saudades do tempo frio. Se você estiver na Rússia e quiser enviar fotos da fumaça que cobre o país, envie suas fotos para russian@bbc.co.uk

Fotos enviadas por leitores do site da BBC para a Rússia retratam a vida sob a nuvem de fumaça que cobre o país desde meados de julho.

Imerso em uma onda de calor que resultou em diversos incêndios florestais, o país foi tomado por uma espessa camada de ar que transformou cartões-postais como a Praça Vermelha, em Moscou, e a Catedral de Smolny, em São Petersburgo.

No fim-de-semana, moscovitas seguiam as orientações das autoridades e podiam ser vistos no metrô usando máscaras de gás para reduzir os males da concentração exagerada de monóxico de carbono na cidade.

Os equipamentos de proteção, parecidos com as máscaras usadas pelos médicos em cirurgias, se tornaram ativo valioso e viram até um aumento de preços.

O aumento da temperatura, que bateu recorde de 39 graus em Moscou esta semana, fez moradores da capital russa improvisarem saídas para vencer o calor. Em um condomínio, por exemplo, moradores dividiram os custos de instalar uma piscina de inflável no jardim.

Mudanças assim no dia-a-dia dos russos foram clicadas pelos leitores e enviados à BBC Russia por email (russian@bbc.co.uk) ou postadas na comunidade virtual da BBC Rússia no site Clique Live_Journal.

Alguns leitores/fotógrafos manifestaram que nunca imaginariam sentir falta do clima frio.

Aquecimento

Cientistas não descartam a possibilidade de que o clima quente e seco que vem causando os incêndios seja causado em parte pelas mudanças climáticas globais.

Para Jeff Knight, cientista especializado em variações climáticas do UK Met Office, o centro nacional de meteorologia da Grã-Bretanha, a situação vivida por Moscou pode ser atribuída a diversos fatores, entre eles, a concentração de gases causadores do efeito estufa, que vem aumentando de forma constante.

Segundo o pesquisador, o fenômeno El Niño, que consiste no aquecimento das águas do Oceano Pacífico e afeta o clima em várias partes do mundo, além de padrões climáticos locais, também podem estar contribuindo para as condições anormais registradas na Rússia neste verão.

"A onda de calor na Rússia está relacionada a um padrão persistente de circulação de ar do sul e do leste", disse o pesquisador.

"Anomalias de circulação (de ar) tendem a criar anomalias de calor e frio. Enquanto está muito quente no oeste da Rússia, está mais frio que a média em partes da Sibéria."

Na mesma linha, o chefe do programa de clima e energia da organização WWF Rússia, Alexei Kokorin, disse que o país deve "se preparar" para situações semelhantes no futuro, pois é possível que as temperaturas aumentem ainda mais nos próximos anos.

"Esta tendência não vai parar nos próximos 40 anos, até que as emissões de gases causadores de efeito estufa sejam reduzidas", afirmou.

Ele afirmou ainda que a mudança de clima já levou a mudanças leves na fauna, como por exemplo, o aparecimento de águas-vivas no rio Moscou, que está mais quente que o normal.

Saúde econômica

Os efeitos das altas temperaturas também se estendem ao campo da saúde pública e da economia.

Economistas já estimam que o custo de combater os incêndios causados pelo aquecimento neste ano atingirá US$ 15 bilhões e poderá retardar a recuperação econômica do país.

De acordo com o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, o impacto dos incêndios sobre a safra de grãos pode ser maior do que o inicialmente esperado.

Atualmente prevista em 65 milhões de toneladas, a safra pode cair para 60 milhões de toneladas, afirmou Putin. A Rússia é o terceiro maior produtor mundial de trigo.

No campo da saúde pública, a taxa de mortalidade diária na cidade de Moscou praticamente dobrou desde o início da onda de calor, de entre 360 e 380 pessoas para cerca de 700, segundo as autoridades locais.

Há relatos de que muitas pessoas faleceram em decorrência de males causados pelo calor e pela exposição à fuligem.

A concentração de monóxido de carbono em Moscou está o dobro do considerado aceitável.

A expectativa é de que o calor continue, com temperaturas de até 35º C.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.