China

Mortos em deslizamentos passam de 1,1 mil na China

Equipe de buscas descansa na cidade de Zhouqu, na China, nesta quarta-feira (AP, 11 de agosto)

Mais de 600 pessoas ainda estão desaparecidas na China

O número confirmado de mortos nos deslizamentos registrados no noroeste da China subiu nesta quarta-feira para 1.117, informaram autoridades do país.

As equipes de resgate continuam procurando sobreviventes na região afetada pelos deslizamentos do sábado à noite, na província de Gansu, e pelo menos 627 pessoas ainda permanecem desaparecidas.

Mais chuvas torrenciais são esperadas na região nos próximos três dias, já que um tufão, o Dianmu, está se dirigindo à China. Na Coreia do Sul, a passagem da tempestade já causou enchentes e mortes.

No condado de Zhouqu, em Gansu, voltou a chover, e o Centro Nacional de Meteorologia já prevê 90 mm de precipitação na área na sexta-feira.

Pelo menos três vilarejos de Zhouqu foram atingidos por uma avalanche de lama e rochas provocada pelas chuvas no sábado.

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Explosões

Soldados têm realizado explosões controladas em escombros que fecharam o rio Bailong, criando um lago artificial.

O premiê chinês, Wen Jiabao, pediu que trabalhadores de resgate se apressem nas operações de busca antes que as novas chuvas atinjam o local.

"Nós precisamos correr contra o relógio e não poupar nenhum esforço para salvar vidas", disse Jiabao, segundo a agência de notícias Xinhua.

Especialistas na prevenção de epidemias foram enviados à área com temores de que doenças se espalhem.

Yang Long, um médico da região, disse ao jornal China Daily que já diagnosticou diarreia em várias pessoas atingidas pela catástrofe.

"Água não-potável e comida estragada provocaram a doença, e nós precisamos de mais medicamentos", disse ele.

Autoridades estão com problemas para achar abrigo, com mais de mil casas destruídas e outras 3 mil submersas.

Mais de 4 mil barracas foram enviadas a Zhouqu, mas há dificuldades em se montá-las no terreno montanhoso.

As esperanças de se encontrar sobreviventes estão diminuindo na medida em que o tempo passa.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.