Peru combate surto de raiva causada por morcegos-vampiros

Morcego-vampiro (arquivo)
Image caption Especialistas crêem que ataques têm a ver com perda de floresta

O Ministério da Saúde do Peru enviou equipes de emergência para zonas amazônicas com o objetivo de conter um surto de raiva disseminado por morcegos-vampiros.

Os agentes de saúde estão aplicando a vacina antirrábica em 500 pessoas atacadas pelos animais recentemente, principalmente na comunidade de Urakusa, próxima da fronteira com o Equador - uma das mais afetadas.

Quatro crianças da etnia indígena awajún morreram em decorrência dos ataques. A raiva causa uma inflamação aguda no cérebro e pode ser letal se não for combatida a tempo.

As três equipes de agentes sanitários estão percorrendo a zona em busca de pessoas que foram mordidas por morcegos nos últimos seis meses.

Segundo o Ministério, a maioria das vítimas de mordidas já foi vacinada, mas algumas recusaram tratamento.

Especialistas dizem que a onda de ataques de morcegos-vampiros no Peru está relacionada ao desmatamento da Amazônia.

Esses mamíferos voadores normalmente se alimentam de animais selvagens ou de gado de pecuária, mas há um histórico de casos de ataques contra seres humanos em áreas onde houve perda de floresta.

As populações locais crêem que os ataques estão ligados a temperaturas mais baixas que o normal na Amazônia peruana registradas nos últimos anos.