Britânico diz ter viajado em aviões nos EUA levando 200 bombinhas

Bombinhas de festa junina
Image caption Lei federal americana proíbe o transporte de fogos de artifício, incluindo bombinhas, em aviões

Um britânico da cidade de Rochdale, na Inglaterra, disse ter transportado mais de 200 bombinhas do tipo usado em festas juninas no Brasil em dois voos pelos Estados Unidos.

Paul Jones, de 29 anos, voou de Kansas para Houston e depois retornou à Grã-Bretanha carregando os fogos e um isqueiro na bagagem de mão.

Jones disse que somente após ter desembarcado no aeroporto de Heathrow, em Londres, autoridades alfandegárias manifestaram preocupação com o material transportado.

A lei federal americana proíbe que produtos perigosos, entre eles fogos e qualquer tipo de explosivo, sejam incluídos na bagagem de mão ou despachados.

A companhia aérea, Continental Airlines, disse não possuir qualquer registro do incidente, mas acrescentou que seus passageiros são avisados de que materiais perigosos são proibidos no avião.

Desde 1997, a venda de bombinhas está proibida na Grã-Bretanha.

Festa

Jones visitou a cidade de Wichita, em Kansas, durante as comemorações do Dia da Independência nos Estados Unidos, em 4 de julho, e acabou ficando com uma sacola de bombinhas.

Ele disse que não pensou na questão da segurança ao decidir levá-las para sua casa na Grã-Bretanha.

Jones contou que, ao passar pelo controle de segurança no aeroporto, colocou naturalmente as bombinhas em uma bandeja de plástico cinza fornecida pelo pessoal de segurança.

"Elas passaram pelo (escaneador de) raio X", disse.

Os produtos proibidos só foram descobertos pelos funcionários da alfândega no aeroporto de Heathrow.

"Eles me pararam, esvaziaram tudo e perguntaram como eu tinha conseguido passar com aquilo pela alfândega".

Apesar da preocupação dos funcionários, Jones recebeu permissão para entrar na Grã-Bretanha com o material.

Em uma declaração, o setor de aviação do Departamento de Transportes da Grã-Bretanha disse não ter conhecimento do incidente e acresentou que o assunto é do interesse das autoridades americanas.

Um porta-voz da Continental Airlines, por sua vez, declarou que o controle de segurança de passageiros é responsabilidade da Transportation Security Administration (TSA), órgão americano responsável pela segurança nos transportes.

"No nosso site, alertamos nossos passageiros sobre materiais perigosos, que são proibidos no avião pela lei federal, e isso inclui fogos de qualquer espécie".

Representantes da TSA não estavam disponíveis para comentar o caso.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet