Itália prende 12 por falsificação milionária de obras de arte

Polícia italiana
Image caption A polícia italiana investigou o caso por cerca de um ano

A polícia da Itália prendeu 12 pessoas acusadas de fazer parte de uma quadrilha de falsificadores de quadros que levou colecionadores de arte a um prejuízo estimado em quase nove milhões de euros (cerca de R$ 20 milhões)

Cerca de 500 quadros que já haviam sido vendidos foram apreendidos, incluindo obras que eram identificadas como de Matisse, Magritte e De Chirico.

As vítimas, que pensavam estar adquirindo quadros autênticos, fizeram suas compras na internet.

As obras vendidas foram recuperadas após buscas nas casas dos compradores.

Um grande quadro falso, identificado como sendo de Teofilo Patini, do século 19, foi negociado por US$ 750 mil.

As investigações conduzidas pelas polícias das cidades de Roma, Palermo e Siena, começaram há um ano.

O esquema foi descoberto após a polícia monitorar transações financeiras em sites conhecidos, pesquisar arquivos de arte e consultar historiadores de arte.

A polícia disse que as falsificações eram bem feitas, reproduzindo detalhes e técnicas usadas nas obras originais.

Notícias relacionadas