Companhia aérea do México suspende voos após pedido proteção contra credores

Guichê da Mexicana (arquivo)
Image caption Antes do corte, a Mexicana voava para 65 destinos

Uma das maiores companhias aéreas do México, a Mexicana, vai suspender todos seus voos três semanas depois de entrar com pedido de proteção contra falência.

De acordo com o ministro mexicano dos Transportes, Juan Molinar, as operações da companhia vão "cessar definitivamente" ao meio-dia de sábado (horário local).

A suspensão das atividades também deve atingir duas companhias aéreas com passagens mais baratas, afiliadas à Mexicana, a Link e a Click.

A companhia já tinha cortado algumas de suas rotas e não estava mais vendendo passagens.

A Mexicana chegou a cobrir 220 rotas para 65 destinos, incluindo cidades na América do Sul (entre elas São Paulo) e na América Central, além de Londres, Madri, Montreal e Chicago.

Dívidas

A companhia de 89 anos de idade tem dívidas de cerca de US$ 800 milhões (aproximadamente R$ 1,4 bilhão).

A Mexicana entrou com pedido de proteção contra seus credores depois de não conseguir fechar um acordo com os sindicatos para o corte de gastos na empresa.

Depois de entrar com o pedido de proteção contra falência, a Mexicana fez uma proposta de grandes cortes salariais para pilotos e tripulação, além de uma redução de 40% no número de funcionários.

Os planos para demitir cerca de mil comissários de bordo, o que permitiria que um grupo de investimentos mexicano assumisse a companhia, foram bloqueados pelo governo no início da semana.

A companhia sofreu grandes perdas durante a recessão no país em 2009, além de já ter passado enfrentando junto com o resto do país a epidemia de gripe suína no mesmo ano. Esta epidemia causou uma queda acentuada no turismo para o México.