Ataque suicida contra xiitas mata pelo menos 50 no Paquistão

Explosão em Quetta
Image caption Explosão foi segundo ataque contra xiitas nesta semana no Paquistão

Pelo menos 50 pessoas morreram em um ataque suicida nesta sexta-feira contra uma manifestação de muçulmanos xiitas na cidade de Quetta, sudoeste do Paquistão. Cerca de 100 pessoas ficaram feridas.

A manifestação foi organizada pela Organização de Estudantes Xiitas Imamia, uma das muitas que ocorrem no Paquistão todos os anos na última sexta-feira do mês santo do Ramadã, uma marcha de apoio ao povo palestino.

O ataque desta sexta-feira ocorreu em um mercado lotado e foi o segundo contra muçulmanos xiitas desta semana no Paquistão.

Na quarta-feira uma procissão xiita na cidade de Lahore foi atacada por suicidas e 31 pessoas morreram.

O Talebã paquistanês informou que foi o responsável pelos ataques em Lahore como vingança pela morte de um líder sunita em 2009.

Caos

Imagens transmitidas pela televisão paquistanesa mostraram cenas caóticas logo depois das explosões. Alguns sobreviventes, que estavam armados, dispararam para o alto, de acordo com a polícia.

Vários jornalistas paquistaneses teriam ficado feridos na explosão desta sexta-feira.

"Entendemos que estas são tentativas de colocar sunitas e xiitas uns contra os outros", afirmou o líder xiita paquistanês Allama Abbas Kumaili, que também pediu calma à população em uma declaração a um canal de televisão paquistanês.

Os muçulmanos xiitas são minoria no Paquistão, uma proporção de um para cinco em uma população de 160 milhões de pessoas, de maioria sunita.

Na manhã de sexta-feira um outro ataque já havia ocorrido no noroeste do Paquistão. Um suicida matou uma pessoa em frente a uma mesquita da seita Ahmadi.

Integrantes desta seita são vítimas frequentes de ataques. Os Ahmadi se consideram muçulmanos e seguem os rituais da religião, mas foram declarados não-muçulmanos no Paquistão em 1973.

Notícias relacionadas