Nudista jardineiro reclama de projetos de casas com vista para seu quintal

Leslie Howard
Image caption Aposentado teme que futuros vizinhos chamem a polícia

Um naturista que gosta de praticar jardinagem pelado acusa a administração local do vilarejo de Steeton, norte da Inglaterra, de violar seus direitos humanos ao aprovar a construção de casas com vista para o seu jardim.

O aposentado Leslie Howard, de 70 anos de idade, ergueu uma cerca alta em volta de sua casa para poder passear e trabalhar pelado no jardim.

Agora, com os planos do governo local, ele teme que os futuros vizinhos possam vê-lo de suas janelas, e teme ser preso.

O governo de Bradford, que administra o vilarejo alega que os planos estão de acordo com as leis de direitos humanos.

“Por 17 anos eu andava pelado sem problema nenhum, tomando banho de sol, fazendo jardinagem”, disse Howard.

“Só fui saber que estavam planejando a construção das novas moradias por um aviso em um poste perto da minha casa.”

“Apresentei minha objeção (à decisão do governo local) já que as casas teriam vista para o meu jardim, mas a autoridade de planejamento disse que levou isso em conta.”

“As leis de direitos humanos afirmam que eu deveria ter o direito de controlar quem vê o meu corpo.”

“Agora estou preocupado que as pessoas que se mudem para essas casas possam me ver pela janela. Os moradores devem ser informados de que poderão ver alguém pelado.”

O ex-bombeiro acrescentou que as autoridades locais disseram que ele pode ser preso se os vizinhos o virem pelado no jardim e chamarem a polícia.

O diretor do setor de planejamento do governo de Bradford, Ian Wilson afirmou que “assim como em todos os pedidos de permissão para construção, levamos em consideração a privacidade dos moradores em torno do local, em Coppy Road, inclusive do senhor Howard, e as cercas altas em volta de seu jardim também foram observadas”.

“A permissão é para a construção de casas a cerca de 30 metros da casa do senhor Howard, portanto, consideramos que não vai haver perda de privacidade nas salas habitadas.”

“O processo de planejamento das casas e os procedimentos são compatíveis e equilibradas com as leis de direitos humanos e estamos confiantes de que o pedido de permissão cumpre com esses parâmetros.”

Notícias relacionadas