Congresso reelege Kim Jong-il e prepara sucessão na Coreia do Norte

Filho do presidente foi nomeado general. Foto: AFP
Image caption Partido único se reúne em massa pela primeira vez em 30 anos

Em sua primeira convenção em 30 anos, o Partido Comunista da Coreia do Norte reafirmou Kim Jong-il como líder do país e indicou que seu filho deve sucedê-lo no poder.

Segundo a imprensa oficial norte-coreana, Kim Jong-un foi nomeado nesta terça-feira general do Exército, embora não tenha experiência militar. A irmã do líder, Kyong-hui, e um antigo aliado da família, Choe Ryong-hae, também foram nomeados generais.

O posto militar dado a Kim Jong-un é visto como um forte sinal de que ele será apontado como o sucessor de seu pai à frente do país. Também é esperado que a convenção dê ao filho do líder uma posição de importância no partido único norte-coreano.

A última vez que o Partido Comunista se reuniu foi em 1980, quando o próprio Kim Jong-il foi indicado como sucessor de seu pai, Kim Il-sung, que governou a Coreia do Norte desde a sua criação, em 1948, até a morte, em 1994.

Existem poucas informações confirmadas a respeito de Kim Jong-un. Sabe-se apenas que ele tem aproximadamente 27 anos de idade e que foi educado na Suíça.

‘Aplausos’

A imprensa oficial de Pyongyang informa que a reeleição de Kim Jong-il frente ao Partido Comunista foi recebida com “aplausos entusiasmados” na convenção, em um "sinal de apoio e confiança absolutos".

No entanto, acredita-se que a saúde do líder norte-coreano esteja fragilizada. Ele teria sofrido um derrame dois anos atrás e realizado tratamento na China, mas os governos chinês e norte-coreano não divulgaram quaisquer informações a respeito.

O processo político da Coreia do Norte é tradicionalmente comandado pelos militares, por meio da Comissão de Defesa Nacional, liderada por Kim Jong-il. As Forças Armadas do país são compostas por 1,2 milhão de homens.