Grã-Bretanha

Governo britânico anuncia cortes em subsídios para famílias com filhos

O ministro George Osborne

Para o ministro das Finanças, medida é 'dura, mas justa'

O governo britânico anunciou nesta segunda-feira que os contribuintes britânicos de maior renda perderão, a partir de 2013, direito a um subsídio dado pelo governo aos casais com filhos.

A medida, anunciada pelo ministro das Finanças, George Osborne, faz parte de um pacote de cortes a serem feitos pela coalizão governista, na tentativa de aplacar um déficit público estimado em 156 bilhões de libras (cerca de R$ 408 bilhões) - ou 10,1% do PIB -, o mais alto da história do país.

Atualmente, os pais recebem 20,30 libras (aproximadamente R$ 54) por semana como subsídio pelo filho mais velho e 13,40 libras (cerca de R$ 35,6) por cada filho mais novo, pagamento que, em alguns casos, pode prosseguir até que as crianças completem 19 anos. O benefício se estende a 7,7 milhões de famílias britânicas atualmente, a um custo de 12 bilhões de libras anuais ao Estado.

Osborne também informou que o governo limitará a 26 mil libras anuais o total que uma família poderá receber como subsídio estatal.

‘Duro, mas justo’

O corte, que Osborne anunciou como sendo “duro, mas justo”, afetará 1,2 milhão de casais nos quais pelo menos um dos cônjuges ganhe 44 mil libras anuais (R$ 117 mil).

Estima-se que, para uma família com três filhos, a mudança representará uma perda de 2,5 mil libras por ano. Por outro lado, o Estado britânico economizará 1 bilhão de libras anuais, segundo cálculos do governo.

Criticado pela oposição trabalhista, o corte foi justificado por Osborne como necessário para cumprir a meta de cortar 25% das despesas públicas nos próximos quatro anos, como já havia sido anunciado pelo governo.

A redução de despesas deve ser detalhada neste mês. A previsão é de que o governo, além de eliminar benefícios sociais, aprove um aumento de impostos sobre o consumo, um congelamento dos salários dos servidores públicos por dois anos e um novo regime de taxação dos bancos.

‘Super-ricos’

Há um ano, Osborne dissera que os conservadores planejavam preservar o subsídio para casais com filhos, já que o benefício era “valorizado por milhões” de britânicos.

Mas o ministro disse nesta segunda-feira que o clima financeiro atual não permite que o Estado gaste 1 bilhão de libras com famílias que estejam ganhando bem.

“Acreditem, sei que os maiores pagadores de impostos não são super-ricos. (Mas) é difícil justificar impostos sobre pessoas com rendas menores para pagar benefícios para famílias que ganham muito mais do que elas”, disse.

Osborne voltou a culpar o governo trabalhista anterior por deixar “dívidas que ameaçam nossa economia, com custos de bem-estar social fora de controle”.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.