Irmãos de cores diferentes chamam atenção, mas não surpreendem cientistas

Sonia e Sharon Harris e seus filhos
Image caption As irmãs Sonia Brown e Sharon Harris surpreendem as pessoas com seus filhos

Casos como o das irmãs britânicas que ganharam as páginas dos jornais nesta semana porque tiveram filhos de cores e aparência física diferentes não surpreendem os cientistas.

As irmãs britânicas Sonia e Sharon Harris, que são mestiças, têm, cada uma, duas crianças: uma de pele morena e cabelos e olhos escuros, outra, loira de olhos azuis.

Fotos da família miscigenada estamparam diversos jornais britânicos nesta semana, mas para o Professor de Genética da Universidade de Leicester Mark Jobling, isso é algo previsível.

"Em uma família de fenótipo (características físicas, morfológicas e fisiológicas) misto como esta, há múltiplas combinações possíveis. É como embaralhar as cartas de um baralho", explicou ele à BBC Brasil.

Tanto Sharon Harris como a irmã Sonia Brown se casaram com homens brancos e acabaram com crianças completamente diferentes uma da outra.

Segundo o geneticista, Sharon e Sonia tem tanto genes de pele clara como de pele escura, já que são fruto de uma relação multirracial. As crianças brancas herdaram os genes de pele clara da mãe, enquanto as crianças pardas herdaram os genes de pele negra maternos.

"Sabemos que há cerca de doze genes que definem a cor da pele e alguns deles também têm influência sobre a cor dos cabelos e dos olhos. É a combinação desses genes herdados do pai e da mãe que vai definir a aparência dos filhos."

"Dez vez em quando, teremos combinações genéticas incomuns que vão gerar crianças muito brancas ou de pele muito escura", diz Jobling.

Polêmica

Image caption Tanto Sonia como Sharon se casaram com homens brancos

Os filhos de Sonia, Cameron e Kyle, de cinco anos, são gêmeos e já começaram a causar polêmica na hora do nascimento.

“Eu fiquei chocada quando os meninos nasceram. Cameron (o menino moreno) saiu primeiro e logo depois vimos umas perninhas e um bumbum brancos. Eu pensei: ‘o que aconteceu?’”, disse Sonia.

“As pessoas não percebem que eles são gêmeos inicialmente e, apesar de eles não serem idênticos, quando eu digo que eles são gêmeos, eles veem as semelhanças.”

Sharon diz que as suas filhas, Paige, de sete anos, e Kayleigh, de cinco, também geram reações engraçadas na rua.

“As pessoas nunca acham que elas são irmãs, assumem que são amigas. Quando descobrem, ficam surpresas por elas serem tão diferentes, mas não posso culpá-las. Eu também levei um susto quando a Kayleigh nasceu tão clarinha. Você sempre acha que seus filhos vão ser parecidos”, disse ela à BBC.

Mas as diferenças na aparência nem sempre se refletem na carga genética.

"Muito provavelmente, se formos estudar o DNA da menina loura (Kayleigh), vamos encontrar marcadores vindos da África. Então, geneticamente, as crianças podem ser muito parecidas. A diferença está nas características que se manifestaram em cada uma delas", diz o dr. Juan Lerena, médico geneticista do Instituto Fernandes Figueira, Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Apesar da pouca idade, as crianças já demonstraram curiosidade sobre as diferenças físicas entre eles.

“As meninas às vezes perguntam por que uma delas tem pele escura e a outra, clara. Eu respondo que a Paige parece comigo e a Kayleigh parece com o pai”, disse Sharon.

“A definição destas características físicas acontece em uma espécie de loteria”, diz o professor Mark Jobling.

Gêmeas em dose dupla

No caso de Dean Durrant e Alison Spooner, a loteria veio em dose dupla.

Em 2001, eles tiveram as gêmeas Lauren e Hayleigh. Uma puxou os olhos azuis e cabelos ruivos da mãe, a outra se parece com o pai, que tem origem caribenha.

Em 2008, Alison engravidou de gêmeas novamente e quando as bebês Miya e Leah nasceram, eles não podiam acreditar no que viam.

Myia nasceu com a pele escura do pai e Leah, branca como a mãe.

“Não acreditávamos que isso fosse possível quando tivemos Lauren e Hayleigh. Nem passou pelas nossas mentes que pudesse acontecer de novo. Mas estamos muito felizes que tenha acontecido”, disse Dean Durrant, na época.

Escola

Image caption Millie e Marcia Biggs, aqui com um ano, eram parecidas quando nasceram

Um outro par de gêmeas que criou polêmica ao nascer, começou a ir para a escola este ano e voltaram a aparecer nos jornais britânicos.

Marcia e Millie Biggs eram quase idênticas quando vieram ao mundo, em 2006, mas a diferença entre elas logo ficou aparente.

Marcia tem cabelos claros e olhos azuis, como a mãe, e Millie tem cachos negros e pele escura, como o pai.

Segundo os cientistas, é possível que casos como estes sejam mais comuns em países como a Grã-Bretanha, que tem uma miscigenação mais recente.

Em países como o Brasil, também há irmãos com cor de pele diferentes, mas as variações na aparência tendem a não ser tão radicais.

“Um dos principais genes na definição de cor de pele é o MC1R. Na população de origem africana, ele funciona perfeitamente, já que a pele escura era altamente vantajosa naquele continente. Nos europeus, o gene é defeituoso e gera a pele clara, mais apropriada para o clima na Europa”, explica Jobling.

“Mas ainda não entendemos completamente como as combinações destes traços complexos acontecem. É um estudo que está em andamento.”

Notícias relacionadas