Qual a importância de Lennon para jovens em Liverpool?

John Lennon faria 70 anos de idade neste sábado e, em dezembro, se completam 30 anos de sua morte.

A BBC foi às ruas de Liverpool entrevistar britânicos nascidos após a morte do ex-Beatle sobre a relevância de seu legado. Acompanhe abaixo.

David Neville, 29 anos e sua esposa Belinda, de Melbourne, Austrália

David: Minha mãe meu pai eram de Liverpool e minha mãe frequentou o primário com Paul McCartney.

Ninguém se mantém popular por tanto tempo como eles, a maioria das bandas permanece por uns cinco anos no máximo. E todas as bandas estão se vendendo, as antigas voltam e fazem turnês mundiais.

Não vejo diferença entre o Paul tocando suas velhas músicas e Yoko permitindo uma música do John em um comercial. Ambas as coisas servem para manter a memória viva, o que é bom.

Rachel Preston and Kim Cooper, ambas 21, de Liverpool

Rachel Preston (direita): Não sei nada sobre ele, para ser sincera, além do aeroporto John Lennon (em Liverpool) e turistas tirando fotos com a estátua. Isso é tudo o que ele significa para mim.

Kim Cooper: Ainda gosto muito dos Beatles. Estive no Brasil e eles me diziam: "Oh, você é de Liverpool e colocavam alguma música dos Beatles. Todos amam os Beatles. Conheço um pouco sobre o John, sei que odeio a Yoko porque ela acabou com a banda. Apesar de não saber detalhes da história, sempre soube que não gostava da Yoko.

Hannah Scott, Rachel Darlow and Jessica Hawley, todas 18, de Leeds

Hannah Scott (direita): Os Beatles são tão famosos que toda geração conhece suas músicas. Muitos amigos gostam da banda e isso os impede de se tornar ultrapassados, ainda são relevantes. Mas eu não vejo muitas imagens deles.

Rachel Darlow (centro): John e os outros inspiram músicos de hoje. É alguém que você cresce junto, as lojas de discos têm cartazes dele, embora em nunca tenha visto nenhum vídeo seu.

(O produtor musical) Simon Cowell diz que não contrataria os Beatles hoje mas se não fosse por eles, não existiriam muitas das bandas de hoje. Johahn Moore, 20, de Londres

Não sou realmente um fã. Conheço elementos da sua música, que tem muitos elementos da cultura de Liverpool.

Ele era um espírito livre. Porque pertenço a outra época, só posso me informar por meio de filmes e documentários e, pelo que vi, ele foi um grande cara.

Gosto de indie, dance music e dub. Música da minha época.

Matt Littler, 21, de Wirral

Não sou muito fã, mas conheço as mais famosas, como Imagine e… outras.

Penso em Lennon como um ícone de paz, mais do que um músico.

Não acho que a mensagem ainda seja forte. Não há ninguém como ele, o Bono é o mais próximo, mas essa geração não conhece muito de Bono ou Bob Geldof. Para os jovens eles são apenas velhos que os pais gostam.

Stephanie Lynch, 23, de Stockport e Michelle Allsup, 22, do País de Gales

Stephanie Lynch (direita): Adoro eles, Ob-La-Di, Ob-La-Da - é ótima. E ele tem o seu próprio aeroporto agora!

Michelle Allsup: Conheci as músicas famosas por meus pais, mas não conheço muito de sua vida. Ele foi algum tipo de pacifista? Era meio hippie, não?

Katy Field, 18, de Belfast

Prefiro os Beatles como grupo, mas não o trabalho solo de John Lennon. Algumas de suas músicas parecem misóginas, como a última do (álbum) Revolver, que fala 'você pode correr menininha, mas não pode se esconder' (Run For Your Life, do álbum Rubber Soul). Parei de gostar dele após isso.

Mudei para Liverpool há uma semana por causa da universidade, moro perto de Penny Lane. Essa coisa de Beatles é algo grande para a cidade, mas as atrações envolvendo os Beatles são muito caras para estudantes. Elas são lotadas de velhos tentando recriar suas juventudes e isso é deprimente.

Notícias relacionadas