Manifestantes de extrema direita atacam parada gay na Sérvia

Manifestante é contido por policial em Belgrado
Image caption Manifestantes foram contidos ao tentar romper cordão de isolamento

Pelo menos 100 pessoas ficaram feridas e outras 100 foram presas neste domingo em Belgrado, capital da Sérvia, após choques entre a polícia e manifestantes que tentavam impedir uma parada gay.

A polícia usou bombas de gás lacrimogêneo para conter os manifestantes, que atiraram coquetéis molotov e pedras nos policiais e tentaram romper um cordão de isolamento que protegia a parada.

Uma garagem da sede do governista Partido Democrático foi incendiada, e ao menos um tiro foi disparado na direção do edifício.

Esta foi a primeira parada do orgulho gay na capital sérvia desde 2001, quando outro evento do tipo foi atacado por grupos de extrema direita.

No ano passado, uma outra marcha gay foi cancelada após ameaças de grupos radicais anti-gays.

A homossexualidade ainda é considerado um tabu na Sérvia, uma nação majoritariamente conservadora e religiosa.

Representantes da União Europeia fizeram discursos durante o evento e prestaram apoio à parada em nome da defesa dos direitos humanos.

“Estamos aqui para celebrar os valores da tolerância e das liberdades de expreessão e de reunião”, afirmou o representante da missão da União Europeia na Sérvia, Vincent Degert.