América Latina

Após testes 'bem-sucedidos', resgate de mineiros chilenos se aproxima

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Após a conclusão das obras no túnel e de testes considerados bem-sucedidos, o resgate dos 33 mineiros soterrados no Chile deve começar a partir da 0h (mesmo horário de Brasília) desta quarta-feira, informou o ministro chileno de Mineração, Laurence Golborne.

Entram, portanto, na reta final os esforços para que os mineiros voltem à superfície, após 68 dias sem ver o sol.

Na madrugada desta segunda-feira, ao menos cinco horas antes do que haviam previsto originalmente as autoridades chilenas, os técnicos de resgate concluíram o “encamisado” – o reforço das paredes do túnel pelo qual os mineiros passarão – para garantir as condições de segurança.

Com o revestimento do túnel, os especialistas tentam evitar que rochas se desprendam, contendo-as com tubos de aço soldados entre si.

Também nesta segunda-feira, a cápsula de resgate, chamada Fênix, alcançou 610 metros de profundidade em testes, relatou Golborne, segundo o jornal La Tercera.

Reforço

A cápsula de resgate Fênix

Cápsulas de resgate foram testadas nesta segunda-feira.

Durante o fim de semana, após avaliar o estado das paredes, os técnicos decidiram reforçar só os primeiros 90 metros do túnel, onde havia mais riscos de que as cápsulas Fênix atolassem ou fossem danificadas.

Será nas cápsulas metálicas, desenhadas especialmente para o resgate, que os mineiros percorrerão os quase 630 metros de duto até a superfície, explica a enviada especial da BBC Mundo à mina de San José, Valeria Perasso.

O próximo passo será armar uma torre-elevador, sobre a qual as cápsulas serão içadas. Ao longo desta segunda-feira, uma câmera de vídeo vai revisar o estado das rochas pelo trajeto.

Segundo os cálculos mais recentes, a saída de cada mineiro deve levar 20 minutos. Como a cápsula deve ser revisada após cada trajeto, calcula-se que cada resgate deva durar em torno de uma hora.

Em paralelo, os helicópteros da Força Aérea chilena que farão parte do resgate – levando os mineiros ao hospital da cidade vizinha de Copiapó – sobrevoaram durante a noite o morro de San José.

A simulação visava avaliar as condições de transporte caso seja necessário fazer voos noturnos.

Ordem

Segundo o jornal El Mercurio, as autoridades já começaram a informar a ordem de saída dos mineiros.

Os últimos a serem resgatados devem ser Luis Urzúa, líder do grupo, Ariel Ticona e Pedro Cortez, que vão supervisionar a comunicação com a superfície durante a operação.

Já o boliviano Carlos Mamani estará entre os cinco primeiros, por ser considerado um dos mais hábeis.

Os mineiros que sofrem de problemas como diabetes e hipertensão estão no grupo intermediário.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.