Resgate de mineiros presos no Chile será antecipado

Membros da equipe de resgate testam cápsula que levará mineiros para superfície (AFP)
Image caption Ainda não se sabe quem será o líder da equipe de resgate dos mineiros

O ministro chileno de Mineração, Laurence Golborne, afirmou que o início da operação de resgate dos 33 mineiros que estão presos em uma mina no norte do país desde o dia 5 de agosto será antecipado para as"últimas horas" desta terça-feira. Segundo fontes do jornal El Mercurio, o resgate começará às 20h.

Em entrevista na mina de San José, Golborne afirmou que quer "encerrar o dia com pelo menos um mineiro já na superfície" e que a operação de resgate será realizada "no último quarto do dia", sem, no entanto, especificar um horário.

Anteriormente, as autoridades haviam afirmado que o resgate teria início a partir das 0h desta quarta-feira.

O ministro informou que os preparativos para o início da operação de resgate devem ser encerrados na tarde desta terça-feira e deverá ser montado um sistema de comunicação online, com áudio e vídeo. Depois disso, a operação de resgate poderá começar, de acordo com o jornal chileno La Tercera.

Golborne, no entanto, não revelou qual a ordem pela qual os homens serão levados à superfície. Segundo ele, a ordem será decidida pelos funcionários de resgate. Mineiros mais hábeis, mais preparados para eventuais contratempos, devem sair primeiro.

O ministro acrescentou que, para a operação, provavelmente serão usadas duas cápsulas. O processo total deve durar cerca de 48 horas, disse ele, se não houver nenhum imprevisto.

Presidentes

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, vai acompanhar o resgate e já chegou à mina San José. "Hoje sinto uma profunda emoção, a mesma que sentem todos os chilenos, mas também uma tremenda alegria", disse o presidente. "Nós dissemos que não nos renderíamos, e cumprimos."

O presidente da Bolívia, Evo Morales, também deve chegar à mina em Copiapó para acompanhar o resgate. Um dos trabalhadores soterrados é boliviano.

A operação de segurança foi aumentada e policiais a cavalo estão patrulhando os arredores do local onde estão ocorrendo as escavações.

O jornal La Tercera informou nesta terça-feira que, depois das atividades da manhã na capital, Santiago, Piñera deve se concentrar a partir da tarde no resgate dos mineiros e viajar, junto com a primeira-dama, Cecilia Morel, para o norte do país.

De acordo com o jornal, fontes do governo informaram que Piñera e Morel devem chegar por volta das 19h à mina para se reunir com os familiares dos mineiros presos, no acampamento montado em volta dos locais de escavação.

Em seguida, os dois devem se instalar em um local especialmente montado para recebê-los, a 300 metros do ponto de onde devem sair os mineiros. Piñera e a primeira-dama devem ficar em trailers e módulos onde vão receber autoridades, como Evo Morales, e a imprensa.

O La Tercera também afirma que a operação de resgate será um marco no governo de Piñera e, por isso, o presidente estará presente quando a cápsula de resgate descer ao abrigo que está a quase 700 metros de profundidade.

Ansiedade

Correspondentes no local afirmam que há um sentimento de alvoroço no acampamento e as famílias dos mineiros contam as horas para o início da operação.

Jornalistas do mundo todo foram até a mina de San José esperando a saída dos mineiros, enquanto as mulheres e namoradas acampadas no local já planejam as roupas que vão usar para receber os trabalhadores.

No entanto, logo depois de se encontrar com os familiares, os mineiros serão transferidos de helicóptero para o hospital de Copiapó, onde as janelas foram cobertas para que o sol não prejudique a visão dos trabalhadores que passaram mais de dois meses sem luz natural.

O túnel por onde vai passar a cápsula Fênix, onde cada um dos 33 trabalhadores vai viajar do abrigo até a superfície, já foi testado.

O chefe da equipe de resgate, André Sougarret, informou que o teste foi bem-sucedido e a cápsula sofreu poucos arranhões depois de viajar pelo túnel. No entanto, ele alertou que "sempre há um risco ao transportar pessoas em um sistema vertical".

Falando para cerca de mil jornalistas que já estão na mina, Golborne afirmou que a operação de resgate não será apressada.

"Vamos usar todo o tempo necessário para garantir que os planos sejam executados", afirmou.

Ao todo, 16 integrantes das forças especiais do Chile e veteranos de outras operações de resgate estão de prontidão para iniciar o processo que vai trazer cada um dos mineiros para a superfície.

Mas, os membros da equipe vão saber apenas na última hora quem deverá liderar a operação, de acordo com Golborne.

"Todos os integrantes (da equipe de resgate) foram preparados para cumprir este papel", disse o ministro.

Notícias relacionadas