Distribuidoras alertam para risco de falta de combustível na França

Estudantes protestam na França
Image caption Medo de falta de combustível gerou corrida aos postos na França

Distribuidoras de petróleo na França exortaram nesta quinta-feira o governo a liberar reservas emergenciais de combustível, após greves bloquearem a produção em refinarias do país e gerarem o temor de que irá faltar o produto.

As empresas também pediram providências para remover os manifestantes que impedem o funcionamento das indústrias.

As greves afetaram oito das 12 refinarias do país francesas e, para as distribuidoras, se nada for feito pelo governo, haverá falta de combustível.

Os sindicatos convocaram os protestos contra a proposta do governo de elevar a idade mínima para a aposentadoria de 60 para 62 anos.

‘Pânico’

Jean-Louis Schilansky, diretor da federação dos distribuidores, disse à rádio francesa BFM que, em uma semana, a greve no porto de Marselha, que fornece combustível a seis grandes refinarias no país, poderia causar desabastecimento na região sul francesa.

Analistas dizem que a reserva estratégica da França consiste em 17 milhões de toneladas de combustíveis refinados e petróleo cru – o suficiente para 98,5 dias de consumo normal no país.

Funcionários do governo têm minimizado as chances de faltar combustível, mas o temor já se espalhou em algumas áreas, aumentando a demanda.

O secretário francês dos Transportes, Dominique Bussereau, disse que não haveria falta de combustível nos postos de gasolina por ao menos um mês.

Ele também alertou quanto às compras motivadas pelo medo de que falte o produto.

“Houve um aumento de 50% no consumo de petróleo nesta semana simplesmente como resultado do pânico. Então se não houver mais pânico, teremos tudo de que precisamos para segurar”, disse ele à TV La Chaine Info.

Notícias relacionadas