Após tsunami, erupção de vulcão mata 13 na Indonésia

Image caption Autoridades retiram Indonésios que vivem perto do vulcão Merapi

O número de mortos em decorrência do tsunami que atingiu a Indonésia nesta terça-feira chegou a pelo menos 108, ao mesmo tempo em que o país é palco de mais uma emergência – a erupção de um vulcão

O tsunami, com ondas de três metros, atingiu na segunda-feira as Ilhas Mentawai, um popular destino turístico de surfistas na costa da Ilha de Sumatra, no oeste do país. O fenômeno destruiu completamente dez vilarejos e deixou centenas de pessoas permanecem desaparecidas.

Pouco depois, o vulcão mais ativo do país - o Monte Merap, na Ilha de Java - entrou em erupção, matando ao menos 13 pessoas.

O responsável por gerenciamento de desastres no governo indonésio, Priyadi Kardono, disse à BBC que mais de 13 mil pessoas têm de ser retiradas de suas casas, localizadas em um raio de dez quilômetros da montanha.

Dificuldades

O governo afirmou que será complicado o resgate tanto das pessoas atingidas pelo tsunami e quando dos que estão sob ameação do vulcão.

Um policial disse à BBC que os trabalhos de resgate na região afetada pelo tsunami estão sendo prejudicados pelo mau tempo. Helicópteros não conseguem pousar na área por causa da forte chuva e barcos também não conseguem chegar às ilhas porque o principal pier foi destruído.

As autoridades também estão enfrentando dificuldades para conseguir informações precisas sobre o desastre por causa da cobertura telefônica ruim na região.

A Agência de Gerenciamento de Desastres do país disse que as ondas foram causadas por um terremoto de magnitude 7,7 que teve como epicentro a costa de Sumatra na noite de segunda-feira.

O governo também enfrenta problemas logísticos na região do vulcão, já que milhares de pessoas têm de deixar o local ao mesmo tempo.

Desde a emissão do alerta de erupção, na segunda-feira, mais de 300 pessoas já foram transportadas para campos de desabrigados. Mas até agora muitos moradores ainda se recusam a deixar suas casas.

Na última vez em que entrou em erupção, em 2006, o vulcão do Monte Merapi deixou dois mortos. Em 1930, uma erupção histórica arrasou 13 vilarejos, matando mais de mil pessoas.

'Parede'

Sobreviventes relataram como enfrentaram a onda gigante. Um grupo de surfistas australianos contou que o barco onde estavam foi destruído por uma "parede de água" durante o tsunami.

O capitão Rick Hallet disse à imprensa da Austrália que sua embarcação estava ancorada perto da ilha Pagai, uma das maiores do arquipélago das Ilhas Mentawai, quando as ondas vieram.

"Nós sentimos o barco tremer por baixo. (...) Alguns minutos depois ouvimos um barulho terrível", disse ele.

"Eu logo pensei em um tsunami. Eu olhei para o mar e foi aí que vi uma parede de água branca vindo em nossa direção."

Segundo o capitão, a força da onda fez com que outros barcos batessem no dele e causassem um incêndio, forçando as pessoas a pular no mar. Alguns dos que estavam a bordo teriam reaparecido em terra, a mais de 200 metros da praia.

Em 2004, um terremoto de 9,1 graus na costa da província indonésia de Aceh provocou um tsunami que matou mais de 220 mil pessoas em 13 países, incluindo a Indonésia, o Sri Lanka, Índia e Tailândia.

Notícias relacionadas