Lula decreta luto de três dias e diz que Kirchner era 'fraternal amigo'

Lula e Kirchner em encontro
Image caption Segundo Lula, Kirchner ajudou a reconstruir a economia da Argentina

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, disse nesta quarta-feira ter recebido com consternação a notícia da morte do ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner e decretou luto oficial de três dias pelo falecimento.

“Sempre tive em Néstor Kirchner um grande aliado e um fraternal amigo. Foram notáveis o seu papel na reconstrução econômica, social e política de seu país e seu empenho na luta comum pela integração sul-americana”, afirmou o presidente em nota oficial.

Em mensagem enviada ao chanceler argentino, Héctor Timerman, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, disse que, "como secretário-geral da Unasul, Néstor Kirchner promoveu habilmente a conciliação e a defesa da democracia em nosso continente".

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, também divulgou nota em que enviou "sinceras condolências" ao povo argentino e à presidente Cristina Kirchner. Segundo Obama, "Kirchner teve um papel significativo na vida política da Argentina e se engajou num importante novo capítulo com a Unasul".

Leia mais na BBC Brasil sobre a morte de Néstor Kirchner

Santos e Chávez

Em discurso em Bogotá, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse que a morte de Kirchner era uma “grande perda para a Argentina e uma grande perda para o continente”.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, publicou no Twitter uma mensagem de apoio a Cristina Kirchner.

"Ah, minha querida Cristina... quanta dor! Que grande perda sofre a Argentina e a nossa América! Viva Kirchner para sempre!!”

Como Lula, Chávez também decretou luto oficial de três dias.

O presidente boliviano, Evo Morales, que está em Teerã, disse, segundo comunicado oficial: "Néstor Kirchner era um lutador social. Sua morte é uma perda dolorosa e irreparável para a Argentina, para a América do Sul e para o mundo".

"Meu abraço ao povo argentino e aos justicialistas (peronistas). A vida passa rápido. Kirchner foi um grande politico", disse o presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, que decretou luto oficial de três dias.

Mujica chegará à Argentina nesta quinta-feira, acompanhado por ministros e lideres de diferentes grupos políticos.

Líderes da oposição argentina, como o prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, já deram suas condolências à presidente, de acordo com a imprensa local.

O vice-presidente da Argentina, Julio Cobos, disse à rede de televisão Todo Notícias que estava "obviamente angustiado e impactado" pela morte e transmitiu condolências à família do ex-presidente.

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, ainda não se pronunciou sobre a morte do marido.

Notícias relacionadas