Onda de atentados mata 63 e deixa mais de 200 feridos em Bagdá

Funeral Bagdá
Image caption Onda de ataques ocorreu logo após velório de católicos mortos no domingo

Uma série de explosões matou ao menos 63 pessoas e feriu mais de 200 na capital iraquiana, Bagdá, nesta terça-feira.

Segundo autoridades, dez bombas foram detonadas de maneira coordenada perto de lojas, cafés, restaurantes e outros alvos movimentados em bairros xiitas da cidade.

Os ataques aconteceram durante a tarde, horas depois de iraquianos católicos terem realizado um funeral para mais de 50 pessoas que foram mortas no domingo, durante um cerco a uma igreja em Bagdá.

Segundo o correspondente da BBC em Bagdá Jim Muir, os parentes das vítimas católicas tinham acabado de sair de velórios quando as explosões – a maioria de carros-bomba – começaram.

No domingo, os fiéis foram mortos durante a operação das forças de segurança do país para resgatar as cerca de cem pessoas que assistiam a uma missa na Igreja da Nossa Senhora da Salvação, a maior igreja cristã da capital iraquiana.

Um grupo de homens armados havia invadido o local e feito dezenas de pessoas reféns.

A ação das forças de segurança levantou dúvidas sobre a capacidade do governo iraquiano de lidar com a violência na cidade.

Entretanto, o nível geral de violência da cidade continua muito mais baixo do que no passado – o número de vítimas de outubro, por exemplo, foi o menor em um ano.

Notícias relacionadas