Dilma nomeia Temer, Palocci, Dutra e Cardozo para conduzir transição

A presidente eleita, Dilma Rousseff
Image caption Presidente eleita vai se reunir com todos os partidos, diz petista

A presidente eleita, Dilma Rousseff, confirmou nesta terça-feira que a coordenação política da equipe de transição de governo será conduzida pelo vice-presidente eleito, Michel Temer (PMDB), pelo presidente do PT, José Eduardo Dutra, e pelos deputados federais Antonio Palocci e José Eduardo Cardozo (ambos do PT-SP).

Segundo informou nesta terça-feira a assessoria de Dilma, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já foi comunicado dos nomes que vão integrar a equipe. Por determinação de Lula, os trabalhos de transição começam na próxima segunda-feira.

Durante a tarde desta terça-feira, a presidente eleita se reuniu com Dutra, Palocci e Cardozo em sua casa, em Brasília. À noite, Temer e Dutra teriam um encontro na residência oficial do presidente da Câmara, e Dilma daria entrevistas a emissoras de televisão.

Antes de chegar para o encontro na casa de Dilma, Cardozo disse que a futura presidente discutirá a transição com todos os partidos aliados.

Criado no fim do governo Fernando Henrique Cardoso, o sistema de transição permite ao presidente eleito se inteirar dos processos e dos principais trabalhos nos ministérios. Para isso, pode formar uma equipe de 50 pessoas, com um orçamento de R$ 2,8 milhões.

No próximo fim de semana, Dilma deve viajar com o presidente Lula à Coreia do Sul, onde a reunião do G20 será realizada nos dias 11 e 12 de novembro. No caminho, a comitiva deve fazer uma parada em Moçambique.

Leia mais na BBC Brasil sobre a eleição de Dilma

Entrevistas

Na noite de segunda-feira, a presidente eleita concedeu entrevistas a três emissoras de televisão e afirmou que pretende manter a política de câmbio flutuante e as diretrizes econômicas do governo Lula.

"Teremos rigor ao tratar da questão cambial. Não é possível que ocorra aqui aquele tipo de política da década de 30, que se caracteriza pela desvalorização competitiva", disse Dilma à TV Globo, referindo-se à desvalorização do câmbio para estimular exportações.

Segundo Dilma, a escolha dos seus ministros será definida por critérios técnicos e políticos e ainda não há nomes definidos para os cargos.

"Nós vamos ter de ver a composição do governo, que tem esses dois aspectos. Eu vou me esmerar para ter um governo em que o critério de escolha dos ministros e dos cargos da alta administração sejam providos por esses dois critérios", disse a presidente eleita ao Jornal Nacional.

Leia mais na BBC Brasil sobre as entrevistas de Dilma

Notícias relacionadas