França e Grã-Bretanha fecham dois acordos na área militar

Nicolas Sarkozy e David Cameron
Image caption Cameron (atrás de Sarkozy): 'novo capítulo'

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, e o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, assinaram nesta terça-feira dois tratados de cooperação para a área da Defesa, um para o testes nucleares e outro que prevê operações militares conjuntas.

O primeiro deles prevê que seja construído um centro em solo britânico para o desenvolvimento de tecnologia para testar ogivas nucleares e outro, na França, para realizar os testes.

Desta forma, as ogivas nucleares vão ser testadas sem ser detonadas. Cada país manterá a autonomia sobre seus arsenais e deve manter seus segredos nucleares.

"Não temos que pensar em novas ogivas até 2019, mas devemos manter seguras as que temos atualmente", disse o secretário de Defesa britânico, Liam Fox, à BBC.

O acordo tem validade de 50 anos.

Força conjunta

O outro tratado prevê a formação de uma força conjunta de cinco mil militares de cada país e a permanência constante de um porta-aviões em operação no mar.

Além disso, estão previstos trabalhos conjuntos nas áreas de treinamento, manutenção, operações com aeronaves não-tripuladas, comunicações e operações para a desativação de minas.

Cada país poderá vetar qualquer missão.

Cameron disse que os acordos vão tornar "nossos cidadãos mais seguros" e marcaram "um novo capítulo em nossa longa história" de cooperação na Defesa.

O analista da BBC Paul Reynolds disse que "o acordo foi feito porque os dois países desejam manter sua relevância militar mas não podem mais arcar com os custos de fazer isso sozinhos".

Há duas semanas o governo britânico anunciou um corte de 8% no orçamento de suas Forças Armadas.

Leia mais na BBC Brasil: Conheça o impacto dos cortes nas Forças Armadas britânicas

Notícias relacionadas