Diálogo nuclear deve se basear em acordo mediado por Brasil, diz Irã

Instalação nuclear iraniana (Foto: AP)
Image caption Irã afirma que seu programa nuclear tem fins pacíficos

O Irã disse nesta quarta-feira que qualquer negociação envolvendo a troca de combustível nuclear com potencias ocidentais deve ser baseada no acordo firmado por Teerã em maio, mediado por Brasil e Turquia.

"Se o grupo de Viena está pronto para negociações sobre a troca de combustível (...) estas devem ser baseadas nas diretrizes estabelecidas pela Declaração de Teerã", disse o ministro das Relações Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki.

O grupo de Viena, que negocia a questão nuclear iraniana, é composto por Estados Unidos, Rússia, França e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, um órgão da ONU).

A declaração de Mottaki foi feita após relatos de que o grupo prepararia nova proposta para substituir uma oferta feita no ano passado e rejeitada por Teerã.

Proposta

Em outubro do ano passado, foi proposto a Teerã o envio ao exterior de 1,2 mil quilos de urânio pouco enriquecido, em troca de combustível em grau maior de enriquecimento para uso civil.

O objetivo era acalmar os temores ocidentais quanto à capacidade iraniana de enriquecimento do material, etapa fundamental para a eventual obtenção de armas nucleares.

O Irã acabou rejeitando termos da proposta e, em maio deste ano, Brasil e Turquia mediaram com o Irã acordo que previa o envio de urânio pouco enriquecido para Ancara. Dessa vez, o pacto foi aceito por Teerã, mas foi ignorado pelas potências negociadoras e novas sanções contra Teerã foram aprovadas na ONU.

O Irã e potências ocidentais devem realizar novas discussões sobre o programa nuclear do país este mês, após uma interrupção de um ano.

O governo iraniano é acusado de usar seu programa nuclear como uma fachada para a fabricação de armas atômicas, alegação negada por Teerã, que afirma que seu objetivo é o uso da energia nuclear para fins pacíficos.

Notícias relacionadas