Israel cancela diálogo com britânicos em protesto contra Justiça do país

William Hague/AP
Image caption Hague iniciou nesta quarta-feira visita a Israel e os territórios palestinos

Israel anunciou nesta quarta-feira o adiamento de negociações estratégicas com a Grã-Bretanha sobre Defesa e assuntos de segurança como protesto contra tentativas da Justiça britânica de processar por crimes de guerra integrantes do governo israelense em visita ao país.

Mas o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores israelense que fez o anúncio negou que este tenha sido feito para “humilhar” o chanceler britânico, William Hague, que faz seu primeiro dia de visita ao país e aos territórios palestinos ocupados justamente nesta quarta-feira.

Uma ordem de prisão contra a ex-ministra das Relações Exteriores israelense Tzipi Livni foi emitida ano passado, mas revogada quando a visita foi cancelada.

Nesta semana, surgiram relatos de que o chefe de inteligência israelense, Dan Meridor, cancelou uma viagem ao país por temor de que poderia ser detido pela Justiça.

Israel já expressou descontentamento no passado com a possibilidade de prisão de seus representantes por causa de ações iniciadas na Justiça britânica por grupos palestinos.

Estes alegam que abusos em ações militares podem ser enquadrados no princípio de jurisdição universal de que alguns crimes seriam tão graves que poderiam ser julgados em qualquer lugar, independentemente de onde eles teriam sido cometidos.

O governo britânico, controlado pelo Partido Conservador, diz estar trabalhando para modificar a lei em um futuro próximo para evitar a possibilidade de detenção de representantes do governo israelense e que a gestão Cameron permanece comprometida com o diálogo com Israel.

Notícias relacionadas