Bulgária e Macedônia ‘disputam’ origens de Dilma Rousseff

Dilma Rousseff
Image caption Pai de Dilma emigrou ao Brasil nos anos 40

As origens da família da presidente eleita Dilma Rousseff provocaram desavenças entre meios de comunicação da Bulgária e da Macedônia.

A agência de notícias búlgara Novinite.com escreveu nesta quinta-feira um editorial criticando o jornal macedônio Dnevnik, por “informações inverídicas sobre a recém-eleita presidente do Brasil”.

Na quarta-feira, o Dnevnik publicou reportagem que diz que Petar Russev – pai de Dilma, que quando emigrou ao Brasil, no anos 40, mudou seu nome para Pedro Rousseff – tem “origens macedônias”, porque, alega o jornal, nasceu numa vila chamada Gabrovo, na “região macedônia de Pirin”. O Dnevnik cita como fonte um grupo no Facebook que teria sido reproduzido pela Novinite.

A agência búlgara negou e reagiu dizendo que a reportagem macedônia é “tendenciosa” e “confunde dois lugares na Bulgária”: a cidade de Gabrovo, no centro do país, onde há registros sobre a família Rousseff, e a vila de Gabrovo, na região de Pirin, sudeste do país.

Image caption A Gabrovo do centro da Bulgária organizou mostra sobrre os Rousseff

Pirin é uma região que pertence oficialmente à Bulgária, mas tem uma presença significativa de habitantes de origem macedônia, segundo a seção macedônia do serviço mundial da BBC.

O jornal macedônio Dnevnik, o mais lido do país, não explica como concluiu que o pai de Dilma teria nascido na região de Pirin.

Já na cidade de Gabrovo, no centro da Bulgária, há registros (ainda que poucos) sobre Petar Russev, e o município organizou uma exposição com fotos da família da presidente eleita brasileira, além de árvores genealógicas.

Fronteiras

A Novinite acusa a reportagem do Dnevnik de “aparentemente brincar com a reivindicação latente circulada pela imprensa macedônia de que o sudeste da Bulgária é ‘território macedônio’”. A agência pediu uma retratação ao jornal, mas até esta quinta-feira não tinha recebido resposta.

O geógrafo brasileiro Nelson Bacic Olic, autor de livros sobre o Leste Europeu e um dos editores do jornal de geopolítica Mundo, explicou à BBC Brasil que diversos países – como Bulgária, Grécia e Albânia – têm até hoje resquícios da região histórica da Macedônia e populações dessa origem.

“É um mapa intrincado. A região passou por intensas mudanças de fronteira em sua história”, explica. “Em momentos de crise (como o atual), reacendem ali reivindicações nacionalistas.”

A região de Pirin, por exemplo, trocou de mãos entre búlgaros e macedônios durante a Segunda Guerra Mundial, mas hoje pertence oficialmente à Bulgária.

Segundo a jornalista búlgara Milena Hristova, da Novinite, a posse búlgara do território "é questionada apenas por elementos radicais da Macedônia e pela imprensa".

Notícias relacionadas