Ministro admite que Irlanda precisa de ajuda externa

"Eu certamente não tenho um sentimento de vergonha quanto a lutar duramente por este país", disse o ministro
Image caption Brian Lenihan afirma que números ainda não foram discutidos

O ministro das Finanças da Irlanda, Brian Lenihan, admitiu nesta quinta-feira que o país vai precisar de ajuda externa para resolver sua grave crise fiscal e a alta dívida dos bancos.

"A maior dificuldade, claro, é que os bancos atingiram um tamanho tal que eles se tornaram inadministráveis demais para o Estado em si", disse Lenihan à emissora RTE. "É por isso que nós devemos considerar assistência externa para estabilizar o nosso sistema bancário.”

"Eu certamente não tenho um sentimento de vergonha quanto a lutar duramente por este país nos últimos dois anos para garantir a sua sobrevivência financeira", afirmou o ministro.

Embora admita receber ajuda, o ministro irlandês afirma que números ainda não foram discutidos. Mais cedo, o Banco Central irlandês disse que esperava que o governo aceitasse um "empréstimo bastante substancial", na casa das dezenas de bilhões de dólares.

Até essa terça-feira, tanto Lenihan quanto o primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, afirmavam que o país poderia sair da crise sozinho. No entanto, a Irlanda foi pressionada para aceitar ajuda econômica da União Europeia (UE) para evitar que outras nações da zona do euro fossem contaminadas.

Neste ano, a Grécia já recebeu auxílio financeiro da UE para evitar um colapso. Além da Irlanda, Portugal é outro país da zona do euro que causa preocupação, devido ao seu alto déficit público.

Um grupo de autoridades econômicas internacionais - entre eles, representantes do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da UE - está em Dublin para discutir a crise da dívida da Irlanda.

O Banco Central Europeu, de cujos empréstimos as instituições da Irlanda têm grande dependência, também faz parte das negociações.

Mercados

A esperança com a aceitação de ajuda por parte da Irlanda causou otimismo nos mercados nesta quinta-feira. A bolsa de valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,54%. O dólar comercial caiu 0,58%, sendo vendido a R$ 1,716.

Em Nova York, o índice Nasdaq teve alta de 1,55%, enquanto o Dow Jones fechou com alta de 1,57%. A bolsa de Londres registrou alta de 1,34%, enquanto Paris fechou com alta de 1,99%.

Notícias relacionadas