Itália prende líder de clã mafioso napolitano

O outro líder do clã dos Casalesi, Michele Zagaria, continua foragido.
Image caption Condenado à prisão perpétua, Antonio Iovine ficou 14 anos foragido

A polícia italiana prendeu 28 dos 30 chefes mafiosos mais procurados do país - entre eles, Antonio Iovine, um dos líderes do clã dos Casalesi, uma das "famílias" que compõem a Camorra, a máfia napolitana.

Iovine, 46 anos, estava foragido havia 14 anos. Segundo as autoridades, ele foi preso nesta terça-feira em uma casa na cidade de Casal di Principe, sede de seu grupo criminoso, ao norte de Nápoles.

A polícia informou que Iovine ainda tentou fugir pelo terraço da residência, mas acabou se entregando sem oferecer resistência. Ele estava desarmado. Nesta quarta-feira, um dia depois da prisão, Iovine negou ser um mafioso.

Neste ano, Iovine já havia sido sentenciado à prisão perpétua em um julgamento à revelia, junto de outros 15 chefes da Camorra. Todos foram considerados culpados de diferentes crimes, inclusive assassinato e extorsão.

O outro líder do clã dos Casalesi, Michele Zagaria, continua foragido.

Polêmica

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, enviou uma mensagem de felicitações ao chefe da polícia, Antonio Manganelli, e ao procurador da República em Nápoles, Giandomenico Lepore.

O ministro do Interior italiano, Roberto Maroni, disse que este era "um grande dia para a luta contra a máfia".

A prisão ocorre depois que o ministro entrou em uma polêmica com o escritor Roberto Saviano, autor do best-seller Gomorra, que afirmou em um programa de TV que a Ndrangheta (a máfia da Calábria) tem ligações com a Lega Nord - partido de Maroni.

O político pediu que Saviano “deponha as armas” e lute junto com ele contra o crime.

Notícias relacionadas