Mineiros são declarados mortos após nova explosão na Nova Zelândia

Familiares de mineiros após a notícia da segunda explosão
Image caption Familiares de mineiros após a notícia da segunda explosão

Todos os 29 mineiros presos desde a sexta-feira em uma mina de carvão no sul da Nova Zelândia foram declarados mortos, após uma segunda explosão ter atingido o local nesta quarta-feira.

O superintendente da polícia Gary Knowles disse que a explosão provocada por gases na mina Pike River significa que um resgate é muito improvável.

“Acreditamos que ninguém sobreviveu e que todos morreram”, disse ele.

Não houve nenhum contato com os trabalhadores – 24 neozelandeses, dois australianos, dois britânicos e um sul-africano - desde a primeira explosão, na sexta-feira.

Segundo Knowles, a nova explosão ocorreu às 14h37 (23h37 de terça-feira em Brasília). “Foi extremamente grave. Eu tive que informar as famílias dos mineiros, e elas estão muito abaladas”, diz.

‘Tragédia nacional’

O primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, classificou o desastre na mina como “uma tragédia nacional”.

“A Nova Zelândia é um país pequeno, um país no qual cuidamos de nossos irmãos, então perder tantos irmãos de uma vez é um golpe agonizante”, afirmou o premiê.

“Hoje todos os neozelandeses estão de luto por esses homens. Somos uma nação de luto”, afirmou.

Key afirmou que um inquérito vai investigar como o acidente ocorreu.

Corpos

O presidente-executivo da mina, Peter Whittal, disse que a companhia faria todos os esforços para recuperar os corpos dos mineiros.

“Queremos trazer nossos rapazes de volta, e queremos tirá-los dali”, disse ele.

Não havia informações imediatas sobre o que provocou a segunda explosão.

Gases explosivos e tóxicos estavam presentes na mina desde a explosão inicial e haviam impedido as equipes de resgate de entrar na mina para procurar pelos mineiros desaparecidos, incluindo um garoto de 17 anos em seu primeiro trabalho.

Dois robôs foram enviados pelos túneis da mina, e um terceiro estava a caminho do local para tentar gerar uma imagem mais clara das condições debaixo da terra.

O pessimismo sobre a possibilidade de resgate dos trabalhadores com vida dos túneis a cerca de 2 quilômetros abaixo da superfície vinha crescendo nos últimos dias.

Segundo Whittal, a segunda explosão era o que as equipes de resgate vinham temendo.

Críticas

Familiares dos trabalhadores reclamaram que as equipes de resgate não entraram imediatamente na mina após a primeira explosão.

Mas Whittal defendeu a decisão de não entrar na mina. “É perigoso e tóxico, e eles estariam colocando suas próprias vidas em risco”, afirmou.

“Enquanto estávamos fazendo uma avaliação, exatamente o que dissemos que poderia acontecer aconteceu”, disse.

A mina de carvão Pike River foi palco também do pior desastre na história da mineração neozelandesa, quando 65 trabalhadores foram mortos após uma explosão em 1896.

O local também é próximo da mina Strongman, onde uma explosão matou 19 mineiros em janeiro de 1967.

Notícias relacionadas