BBC investiga realidade por trás dos índices de corrupção

A segunda parte da série Mundo de Extremos examina o tema da corrupção. Correspondentes investigarão Suécia e Somália - perguntando se esses países são o que parecem ser.

A Somália foi mais uma vez citada como país mais corrupto do mundo este ano - à frente de outras nações assoladas pela guerra como Mianmar, Afeganistão e Iraque.

O Índice de Percepção da Corrupção - publicado pela organização baseada em Berlim Transparência Internacional - põe Dinamarca, Nova Zelândia e Cingapura como nações menos corruptas do mundo.

O índice mede os níveis de corrupção percebidos no setor público em 178 países, e os classifica de 0 (altamente corrupto) a 10 (muito limpo).

A Somália obteve 1.1 no índice de 2010. A Suécia ficou em segundo no ranking com 9.2.

Correspondentes enviarão informações da Suécia e da fronteira com a Somália como parte da série Mundo de Extremos.

A Transparência Internacional foi criada em 1993 para medir e monitorar a corrupção. O índice, que é publicado anualmente, se baseia nos resultados de 13 pesquisas independentes, realizadas por organizações como o Banco Mundial e a Economist Intelligence Unit. Um mínimo de três resultados deve estar disponível para que um país seja incluído no ranking.

Entre os países que demonstraram uma piora da situação de 2009 para 2010 estão Itália e EUA. Enquanto Chile e Haiti estão entre os que melhoraram.