Estudante armado tenta suicídio após manter colegas reféns em sala de aula

Image caption Os 23 estudantes mantidos como reféns foram liberados sem ferimentos

Um estudante de 15 anos manteve 23 colegas e uma professora como reféns na tarde da última segunda-feira em uma escola secundária nos Estados Unidos.

Durante a noite, os reféns foram libertados. O rapaz atirou em si mesmo após a chegada da polícia.

Os jovens e a professora ficaram presos por cinco horas dentro da escola, na cidade de Marinette, no Estado de em Wisconsin.

O estudante, que tinha duas armas consigo ao entrar no prédio, está internado. Se estado de saúde ainda não foi informado.

Sem motivos

O estudante, que não foi identificado, entrou na escola pela manhã com duas armas - um pistola semi-automática de calibre 22 e uma 9 milímetros - e prendeu os colegas.

O chefe de polícia de Marinette, Jeff Skorik, disse que ele não fez exigências durante a negociação, nem mencionou algum motivo pelo qual teria feito os reféns.

As negociações foram feitas por intermédio da professora.

Às 19h40 hora local (23h40 em Brasília) o garoto concordou em libertar cinco estudantes porque precisava ir ao banheiro.

Minutos depois, a polícia ouviu três tiros. Ao entrarem na sala de aula, o rapaz atirou em si mesmo.

Os reféns foram imediatamente libertados e se reuniram com suas famílias do lado de fora.

O superintendente da escola, Tim Baneck, disse que todas as aulas foram canceladas nesta terça-feira.

Notícias relacionadas