Governo promete acabar com dinheiro das drogas no futebol da Colômbia

Juan Manuel Santos e Edgar Renteria (direita)
Image caption Santos (esquerda) fez as declarações durante evento esportivo

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, prometeu acabar com o envolvimento do dinheiro do tráfico de drogas nos clubes de futebol profissional do país.

"Vamos acabar com a ligação entre criminosos e o futebol", disse ele em uma cerimônia na noite de quarta-feira que contou com a presença de vários esportistas famosos da Colômbia.

Santos disse que algumas "maçãs podres" estariam ameaçando o futuro do esporte no país.

"Ou mudamos o futebol ou ele estará acabado para nós (...) não permitirei o fim do futebol colombiano", afirmou ele.

Investigação

O Congresso colombiano estuda mudar a lei para tornar mais transparente o financiamento de clubes.

Atualmente, o time para o qual o presidente já declarou torcer, o Independiente Santa Fe, está sendo investigado por suspeita de lavagem de dinheiro de cartéis de drogas.

A promotoria alega que o clube iria receber US$ 29 milhões (quase R$ 49 milhões) confiscados em outubro do traficante procurado pela polícia Daniel “El Loco” Barrera.

O clube prometeu colaborar com as investigações.

O presidente colombiano disse que o esporte deveria retornar à época em que "havia um ambiente saudável e a torcida era maravilhosa".

A ligação entre futebol e traficantes não é nova na Colômbia. Na década de 1980, criminosos conhecidos como Pablo Escobar e os irmãos Rodriguez Orejuela eram donos de equipes.

Notícias relacionadas