Sob suspeita, Egito faz 2º turno de eleição parlamentar

Egípcia vota no segundo turno das eleições parlamentares
Image caption Partido governista deve eleger a grande maioria dos deputados

O Egito realiza neste domingo o segundo turno das eleições parlamentares no país, uma semana após a primeira votação, envolvida em alegações de fraude.

O partido governista NDP, do presidente Hosni Mubarak, ganhou quase todas as cadeiras no Parlamento decididas no primeiro turno, e deve ampliar ainda mais a vitória após os dois principais partidos opositores terem decidido boicotar a votação deste domingo para as cadeiras restantes.

A oposição acusa o NDP de fraudar a votação, o que o partido governista nega.

O NDP ganhou 209 das 222 cadeiras decididas já no primeiro turno e deve vencer a grande maioria das 287 cadeiras ainda em disputa no segundo turno.

Em muitos dos assentos, o segundo turno ocorre entre dois candidatos do NDP.

Credibilidade

O correspondente da BBC Jon Leyne, no Cairo, diz que a grande questão não é quem vai vencer a eleição, mas se o resultado terá qualquer credibilidade.

Segundo ele, o resultado deve deixar o Egito praticamente como um regime de partido único.

A margem da vitória, segundo ele, é um embaraço para o NDP, que preferia uma oposição parlamentar numerosa, ainda que minoritária, para fortalecer sua imagem democrática.

A Irmandade Muçulmana, grupo islâmico proibido cujos candidatos concorrem como independentes, anunciou sua retirada do segundo turno após não ter conseguido nenhuma cadeira no primeiro turno.

Na última eleição, o grupo elegeu 88 deputados, o maior grupo de oposição no Parlamento.

O outro grande partido de oposição, o liberal Wafd, também anunciou sua desistência do segundo turno ao eleger somente dois deputados na primeira votação.

O primeiro turno foi criticado por grupos de defesa dos direitos civis e pelos Estados Unidos.

Notícias relacionadas