Brasileiros são os que mais veem corrupção como problema grave, diz pesquisa da BBC

A pobreza extrema é considerado problema mais grave para brasileiros.
Image caption Segundo estudo, corrupção é o tema mais debatido em 26 países

A corrupção é considerada um problema “muito grave” por 96% dos brasileiros – maior percentual entre os 26 países estudados em uma pesquisa encomendada pela BBC.

Segundo o levantamento World Speaks (“O Mundo Fala”), feito pela consultoria Globescan, o Egito tem o segundo maior percentual de preocupação com a corrupção, com 91% dos entrevistados, seguido por Colômbia (88%), Filipinas (87%) e Quênia (86%).

Os países com menor percentual de entrevistados que classificam a corrupção como um problema muito grave são Alemanha (44%), Nigéria (43%) e Japão (26%).

“Nós não devemos nos surpreender que as pessoas estejam demonstrando a sua frustração com um problema que frequentemente impede os governos de se dedicarem aos muitos desafios sérios que eles estão encarando agora”, diz o diretor de Pesquisas da GlobeScan, Sam Mountford, sobre a corrupção.

Para os brasileiros que participaram do estudo, a corrupção ficou em segundo lugar entre os problemas muito graves. A pobreza extrema está em primeiro, sendo citada por 97% das pessoas. Em terceiro, vêm os direitos humanos (93%).

Em último, aparecem o poder crescente das multinacionais (54%), fundamentalismo religioso (52%) e migração transnacional (41%).

Entre todos os países, o Brasil é líder no percentual de pessoas que veem "problemas muito graves" nos seguintes temas: corrupção, mudanças climáticas, violações dos direitos humanos, meio ambiente e poluição, pobreza extrema, propagação de doenças, terrorismo, guerra e conflitos armados, fundamentalismo religioso e violação dos direitos dos trabalhadores.

Considerando os 26 países pesquisados, a pobreza extrema ficou em primeiro lugar enquanto “problema muito grave”, sendo citada por 69% dos entrevistados, em média. A corrupção ficou em segundo (68%). Em último lugar, ficou a migração transnacional (28%).

Assuntos mais discutidos

Em termos globais, mais de um quinto dos entrevistados (21%) dizem ter discutido a corrupção com amigos e familiares no último mês, o que faz deste o tema mais debatido nos 26 países.

Em seguida, vêm mudanças climáticas (20%), pobreza extrema e fome (18%), desemprego (16%) e custos da alimentação e energia (15%).

No Brasil, as mudanças climáticas foram o tema mais debatido (23% dos entrevistados), com crime e violência em segundo (22%) e corrupção em terceiro (20%). Em último lugar, aparecem propagação de doenças e migração transnacional (2% cada).

A pesquisa foi feita junto a 13 mil pessoas nos seguintes países: Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, Chile, China, Colômbia, Equador, Egito, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, França, Gana, Grã-Bretanha, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Nigéria, Paquistão, Peru, Quênia, Rússia e Turquia.

No Brasil, foram entrevistadas 400 pessoas em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Notícias relacionadas