Kosovo tem primeiras eleições após independência

Image caption O partido do atual premiê deve ser o mais votado

Eleitores no Kosovo realizam neste domingo as primeiras eleições parlamentares desde que o território declarou unilateralmente independência da Sérvia, há três anos.

As comunidades da maioria albanesa e da minoria sérvia continuam mantendo um relacionamento tenso, mais de uma década após o conflito que culminou com o desligamento da então província sérvia do controle de Belgrado.

A Sérvia não reconhece a independência do Kosovo. Havia expectativas de que a maioria dos sérvios que vivem no território boicotasse as eleições, mas relatos indicam que o comparecimento foi satisfatório.

A União Europeia diz que o pleito é importante para o futuro do Kosovo.

Na noite de domingo, pesquisas davam a liderança no pleito ao premiê Hashim Thaci, do Partido Democrático do Kosovo (PDK), com estimados 31% dos votos. Se os resultados se confirmarem, Thaci necessitará do apoio de outros partidos para formar um governo de coalizão.

Conflitos étnicos

O maior partido da oposição, a Liga Democrática do Kosovo (LDK), desligou-se da coalizão governista em outubro. O desligamento obrigou o governo a convocar eleições.

Os eleitores citam a corrupção e o as dificuldades econômicas do Kosovo como suas maiores preocupações.

A taxa de desemprego é de 45% na região e, entre os jovens, o índice é ainda maior.

Apesar de reconhecido por muitos países ocidentais, o Kosovo, com seus dois milhões de habitantes, ainda não é membro das Nações Unidas.

A população sérvia estimada de 120 mil, vive em enclaves protegidos por tropas da Otan. A maioria deles vive no norte do território, entre a dividida cidade de Mitrovica e a fronteira sérvia.

Segundo vazamento publicado pelo site Wikileaks, o embaixador americano para o Kosovo disse que uma eventual tentativa de separação do norte poderia reaviver as tensões étnicas comuns na década de 1990.

Notícias relacionadas