Berlusconi vence votos de confiança no Parlamento

Berlusconi durante sessão no Senado nesta terça-feira
Image caption Premiê disse que derrubá-lo criaria 'uma crise no escuro' na Itália

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, conseguiu votos de confiança na Câmara logo após vencer votação idêntica no Senado italiano, nesta terça-feira.

A moção de confiança em Berlusconi foi aprovada por 162 dos 309 senadores, com 11 abstenções. Na Câmara, a vitória foi mais apertada - 314 a 311.

Apesar da vitória, o premiê viu sua maioria parlamentar ser reduzida, o que, segundo analistas, dificultará seu governo.

Na segunda-feira, o premiê italiano pediu o apoio dos parlamentares do país, para que a estabilidade do país não fosse ameaçada por sua saída do cargo.

No entanto, os críticos de Berlusconi dizem que sua imagem está manchada demais por escândalos pessoais e acusações de corrupção para que siga no cargo.

Manifestações

Nesta terça-feira manifestações contra Berlusconi ocorreram em várias cidades italianas.

Nos protestos em Roma, manifestantes entraram em choque com a polícia. Eles jogaram ovos, tinta e pedras no Senado.

O alto índice de desemprego entre os jovens, cortes de gastos públicos e uma crise sobre a coleta de lixo em Nápoles contribuíram também para a retirada do apoio a Berlusconi.

Fim do governo?

A crise atual é considerada uma das mais sérias envolvendo o premiê nos 16 anos de sua carreira política.

Berlusconi, de 74 anos, que está na metade de seu mandato de cinco anos, vem enfrentando nos últimos meses uma série de escândalos, muitos deles envolvendo seus supostos relacionamentos com mulheres jovens.

Os escândalos levaram Berlusconi a perder o apoio de seu ex-aliado próximo Gianfranco Fini, do partido Futuro e Liberdade para a Itália, o que deixou o governo sem maioria absoluta na Câmara dos Deputados.

Fini deixou a coalizão governista junto com outros 40 parlamentares.

O atual mandato vai até 2013, mas alguns analistas dizem que o governo deverá ser obrigado a convocar eleições mais cedo porque a pequena minoria poderia paralisar o Parlamento.

"Este país está cansado e quer mudanças", disse o líder do principal partido de oposição, o Democrático, Pier Luigi Bersani.

Um editorial do jornal italiano La Repubblica disse nesta terça-feira que Berlusconi está tentando "sobreviver um pouco mais com a ilusão de ainda ter um governo, uma maioria".

Notícias relacionadas