Berlusconi recebe apoio no Senado, mas ainda enfrenta votação apertada na Câmara

Berlusconi durante sessão no Senado nesta terça-feira
Image caption Premiê disse que derrubá-lo criaria 'uma crise no escuro' na Itália

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, conseguiu um voto de confiança do Senado italiano nesta terça-feira.

Mas o premiê ainda enfrenta uma segunda votação, na Câmara dos Deputados. Se perder nesta votação, a Itália poderá ter que realizar eleições antecipadas.

A moção de confiança em Berlusconi foi aprovada por 162 dos 309 senadores, com 11 abstenções. No entanto, espera-se que a votação na Câmara dos Deputados seja muito mais apertada.

Na segunda-feira, o premiê italiano pediu o apoio dos parlamentares do país, para que a estabilidade do país não fosse ameaçada por sua saída do cargo.

No entanto, os críticos de Berlusconi dizem que sua imagem está manchada demais por escândalos pessoais e acusações de corrupção para que siga no cargo.

Berlusconi, de 74 anos, que está na metade de seu mandato de cinco anos, vem enfrentando nos últimos meses uma série de escândalos, muitos deles envolvendo seus supostos relacionamentos com mulheres jovens.

Os escândalos levaram Berlusconi a perder o apoio de seu ex-aliado próximo Gianfranco Fini, do partido Futuro e Liberdade para a Itália, o que deixou o governo sem maioria absoluta na Câmara dos Deputados.

O alto índice de desemprego entre os jovens, cortes de gastos públicos e uma crise sobre a coleta de lixo em Nápoles contribuíram também para a retirada do apoio a Berlusconi.

Sério

Segundo o correspondente da BBC em Roma Duncan Kennedy, Berlusconi pareceu sério ao acompanhar os últimos debates no Senado antes da votação, apesar de sua vitória quase certa na casa.

A votação na Câmara dos Deputados, que deve ocorrer no início da tarde desta terça-feira, poderá ser decidida por um ou dois votos, segundo as projeções dos analistas.

Durante os discursos antes da votação, o deputado Antonio di Pietro, um ex-juiz anticorrupção que hoje é líder do partido Valores, acusou Berlusconi de tentar comprar os votos.

Seus comentários levaram o premiê a deixar brevemente o local.

Segundo analistas, ainda que Berlusconi vença a votação da tarde desta terça-feira, poderá ter dificuldades em continuar governando com uma maioria limitada na Câmara dos Deputados.

Notícias relacionadas