Protestos contra Berlusconi deixam 90 feridos em Roma

Jovens protestam em Roma
Image caption Alto desemprego entre os jovens contribui para insatisfação com governo

O anúncio de que o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, havia conseguido votos de confiança no Parlamento provocou uma onda de protestos que deixou 50 policiais e 40 manifestantes feridos em Roma nesta terça-feira, segundo a polícia.

A moção de confiança em Berlusconi foi aprovada por 162 dos 309 senadores, com 11 abstenções. Na Câmara, a vitória foi mais apertada - 314 a 311.

Antes da votação, milhares de pessoas se reuniram em Roma e em outras grandes cidades italianas para exigir uma mudança no governo.

A polícia lançou gás lacrimogêneo na multidão, e muitas explosões – atribuídas a fogos de artifício – foram ouvidas. Manifestantes jogaram ovos, tinta e pedras nos prédios do Parlamento.

Escândalos

Os críticos de Berlusconi dizem que ele está muito envolvido com escândalos e casos de corrupção para permanecer no cargo.

Na segunda-feira, o premiê italiano pediu o apoio dos parlamentares do país, dizendo que sua renúncia ameaçaria a estabilidade nacional.

O primeiro-ministro, de 74 anos, está na metade de seu mandato de cinco anos e vem enfrentando nos últimos meses uma série de escândalos, muitos deles envolvendo supostos relacionamentos com mulheres jovens.

Os casos levaram Berlusconi a perder o apoio de seu ex-aliado próximo Gianfranco Fini, do partido Futuro e Liberdade para a Itália, o que deixou o governo sem maioria absoluta na Câmara dos Deputados.

O mandato vai até 2013, mas alguns analistas dizem que o governo deverá ser obrigado a convocar eleições mais cedo porque a minoria poderia paralisar o Parlamento.

O líder do partido opositor Itália de Valores, Antonio Di Pietro, disse que Berlusconi tinha chegado ao fim de sua trajetória política: “Você não tem a maioria que o permitiria governar.”

Segundo o correspondente da BBC em Roma, Duncan Kennedy, embora o premiê tenha vencido os votos de confiança, ele ainda enfrentará uma oposição considerável à sua liderança.

Protestos

No centro histórico de Roma, houve um início de comemoração com a notícia de que Berlusconi saíra derrotado de uma votação preliminar. Mas, quando dois deputados opositores mudaram o voto, revertendo o resultado, parte da multidão se enfureceu.

Na Via del Corso, uma das principais avenidas da cidade, a polícia deteve um grupo que havia incendiado um monte de lixo, mesas e cadeiras de bares vizinhos.

À distância, nuvens de fumaça negra surgiam à medida que carros eram incendiados nas proximidades da Piazza del Popolo.

Também houve protestos em outras cidades do país. Em Palermo, capital da Sicília, 500 estudantes ocuparam a principal pista do aeroporto.

Em Turim, no norte, manifestantes ocuparam a estação de trem, enquanto em Veneza protestaram na famosa ponte Rialto.

O alto índice de desemprego entre os jovens, cortes de gastos públicos e uma crise sobre a coleta de lixo em Nápoles, no sul, contribuíram também para a rejeição a Berlusconi.

Notícias relacionadas