Atentado mata 38 perto de mesquita no Irã

Image caption Ataque em mesquita matou mais de 30 pessoas, incluindo crianças e mulheres

A explosão de uma bomba na cidade de Chabahar, no sudeste do Irã, matou ao menos 38 pessoas e feriu dezenas, segundo informações da agência de notícias oficial do país Irna.

O ataque, descrito como suicida, aconteceu do lado de fora da mesquita Imam Hossein e teria como alvo peregrinos que marcavam o dia de Ashura, data de luto e lamentação para os muçulmanos xiitas.

Segundo o chefe do conselho de segurança de Chabahar, Ali Bateni, citado pela Irna, duas pessoas foram responsáveis pelo ataque e uma delas foi presa.

Acredita-se que há crianças e mulheres entre os mortos.

Autoria

O grupo militante sunita Jundallah (Soldados de Deus) teria assumido a autoria do ataque.

O Jundallah diz lutar pela cultura e a fé da etnia Baluch, e já assumiu ataques similares no passado, incluindo um contra outra mesquita xiita, na capital regional Zahedan, que deixou 27 mortos em julho.

No mês passado, o grupo foi classificado como uma organização terrorista pelos Estados Unidos.

Chabahar fica na província do Sistão-Baluquistão, na fronteira com o Paquistão e o Afeganistão. A região sofre com altos níveis de criminalidade, com a população de maioria sunita alegando discriminação por parte da minoria xiita.

Teerã frequentemente acusa os americanos de usar militantes na região como mercenários para atacar os interesses do Irã.

O presidente dos EUA, Barack Obama, emitiu comunicado nesta quarta-feira "condenando fortemente" o ataque em Chabahar, que chamou de "ato covarde" contra civis, e disse que "se coloca ao lado do povo iraniano".

Notícias relacionadas