Dilma é diplomada presidente e diz ver ruptura de preconceitos

Dilma Rousseff
Image caption Para Dilma, sua vitória representa 'maturidade da democracia brasileira'

A presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), e seu vice, Michel Temer (PMDB-SP), foram diplomados nesta sexta-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

Logo após a execução do Hino Nacional, o presidente do tribunal, ministro Ricardo Lewandowski, entregou diploma à presidente.

“Pela vontade do povo brasileiro expressa nas urnas em 31 de outubro, a candidata Dilma Vana Rousseff foi eleita presidente da República Federativa do Brasil”, afirmou o ministro.

Em um rápido discurso, Dilma afirmou que o fato de receber o diploma representava uma ruptura de preconceitos na história do Brasil.

“Esse fato demonstra a maturidade da democracia brasileira, rompe com os preconceitos e desafia os limites”, disse a presidente, acrescentando que o diploma dá esperança ao povo brasileiro e orgulho às mulheres.

Responsabilidade

Dilma afirmou que estava emocionada tanto por sua trajetória política como pelo fato de ser mulher brasileira.

“Quero compartilhar (o diploma) com cada brasileiro e, principalmente, com as mulheres.”

Ela disse estar ciente da responsabilidade “de suceder um governante da estatura do presidente Lula” e prometeu empenhar todo o esforço possível para cuidar dos mais frágeis, das mulheres e governar para todos.

Segundo Dilma, sua vitória foi uma conquista excepcional. “O povo sofrido agora fica cheio de esperança num futuro que já começou a chegar.”

Lewandowski também entregou o diploma a Temer e elogiou o uso da urna eletrônica nas eleições, dizendo que elas voltaram a conferir “transparência e legitimidade a todo o sistema eleitoral”.

A cerimônia de diplomação foi acompanhada por mais de 150 pessoas, entre senadores e ministros recém-nomeados, como Antônio Patriota, que assumirá o Ministério das Relações Exteriores.

O evento foi seguido por uma recepção para 400 convidados no Palácio Itamaraty, da qual o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve participar.

Dilma será empossada em 1º de janeiro, quando receberá de Lula a faixa presidencial.

Notícias relacionadas