Frio nas ruas: na Turquia, sem-teto só têm abrigo nos dias mais gelados

Manifestação em Istambul sobre a questão dos moradores de rua
Image caption Estima-se que 100 mil pessoas vivam nas ruas de cidades turcas

Só quando faz muito frio na Turquia as autoridades oferecem aos moradores de rua de suas principais cidades acomodação temporária em centros esportivos.

Mas as condições de moradia pioram a cada ano para os cerca de 100 mil moradores de rua na Turquia, à medida que a solidariedade familiar ou entre vizinhos enfraquece.

O colaborador da BBC Kürşat Akyol visitou o centro de Istambul num sábado à noite, acompanhando ativistas que tentavam chamar a atenção do público sobre o problema dos moradores de rua.

“Está frio, muito frio”, diz Ibrahim, 40, que mora nas ruas há oito anos.

Ele dorme em carros abandonados em Cihangir, área nos arredores de Taksim, o agitado centro cultural e comercial de Istambul.

Image caption Nos últimos anos, governo passou a usar centros esportivos para abrigar moradores de rua nos dias mais frios

Nos últimos anos, autoridades passaram a abrigar os moradores de rua em centros esportivos nos dias mais frios. Mas, quando a temperatura se eleva, eles voltam às ruas.

Hayrettin Bulan, director da caridade Şefkat-Der, diz que os sem-teto estão condenados a morrer com dor.

Ele participou da ação no centro de Istambul cujo tema era uma noite de inverno na vida de um morador de rua.

Rodeado por cerca de 15 pessoas, perguntou a um sem-teto de onde ele vinha. O homem, que migrara de Mardin, cidade pobre no sudeste do país, conta que contraiu tuberculose morando na rua.

Para que fosse tratado no hospital, tinha de informar o endereço de sua residência. Mas, como não tinha uma casa, não pôde ser tratado.

Solidariedade tradicional

Segundo Hayrettin Bulan, dos cerca de 100 mil moradores de rua da Turquia, 10 mil vivem em Istambul.

Image caption Sem-teto diz que não pôde se tratar de doença por não ter moradia

Eles só se tornaram mais visíveis nos últimos anos. Até pouco tempo atrás, o apoio de familiares ou de pessoas provenientes de suas regiões lhes garantia condições mínimas de habitação.

Mas especialistas dizem que o desenvolvimento urbano tem reduzido a solidariedade tradicional.

Segundo dados oficiais, 80% da população turca morava no campo entre 60 e 70 anos atrás. Hoje, 70% vivem em cidades.

Notícias relacionadas