Justiça britânica derruba limite temporário imposto a imigrantes qualificados

A secretária do Interior Theresa May
Image caption Governo quer reduzir a 'dezenas de milhares' o número de imigrantes

A Justiça britânica considerou ilegal o limite temporário que o governo havia imposto, barrando a entrada no país de imigrantes de fora da União Europeia que sejam qualificados.

A secretária de Interior, Theresa May, havia introduzido o limite como medida interina, antes de impor uma restrição permanente, a partir de abril, quando o teto será de 21,7 mil imigrantes.

Mas a Justiça decidiu nesta sexta-feira que a secretária se “se esquivou” de passar a medida temporária pelo Parlamento britânico. Com isso, o limite provisório deixou de valer.

O correspondente de assuntos internos da BBC Danny Shaw diz que a decisão judicial é um revés para a coalizão que governa a Grã-Bretanha, mas não um golpe fatal contra os planos do governo de restringir permanentemente a entrada de imigrantes de fora da UE.

O governo poderá levar a medida ao Parlamento quando este retomar suas atividades, em janeiro, e colocá-la novamente em funcionamento. Os parlamentares teriam, então, 40 dias para desafiar a norma, segundo apuração da BBC.

‘Insustentável’

O premiê David Cameron havia dito que os atuais níveis de imigração à Grã-Bretanha são “insustentáveis” e pedido que a imigração “líquida” – a diferença entre o número de pessoas que entram e que saem do país – seja reduzido de cerca de 200 mil por ano para “dezenas de milhares”.

Mas a medida foi contestada judicialmente por organizações de defesa dos imigrantes.

Nesta sexta-feira, a Justiça decidiu que May deveria ter levado a medida para tramitação no Parlamento.

O ministro de Imigração, Damian Green, se disse “desapontado” com a decisão judicial. “Faremos tudo o que estiver em nosso poder para impedir uma avalanche de pedidos (de imigrantes) antes que nossas medidas permanentes estejam em vigor”, agregou.

Notícias relacionadas