Dilma anuncia mais sete nomes para seu gabinete

Dilma
Image caption Dilma confirmou Alexandre Padilha, da Secretaria de Relações Institucionais, no Ministério da Saúde

A presidente eleita, Dilma Rousseff, anunciou nesta segunda-feira os nomes de mais seis ministros que vão integrar seu governo.

O médico Alexandre Padilha, atual ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, foi confirmado Ministério da Saúde.

A cantora e compositora Ana de Hollanda, irmã de Chico Buarque, assume a pasta da Cultura. Ela foi diretora de Música da Fundação Nacional de Artes (Funarte).

Outras duas mulheres vão integrar o gabinete: a economista Tereza Campello, na pasta de Desenvolvimento Social, e a socióloga Luiza Helena de Bairros, na Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial.

O deputado federal Mário Negromonte (PP) irá para o Ministério das Cidades, o advogado Luís Inácio Lucena Adams comandará a Advocacia Geral da União (AGU) e o ministro Orlando Silva Jr. (PCdoB) permanece no Ministério do Esporte.

A presidente ainda tem de definir nomes para assumir pastas como a do Desenvolvimento Agrário e a de Relações Instituicionais.

Anúncios prévios

Na semana passada, Dilma havia confirmado a permanência no cargo de Fernando Haddad (Educação), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), Carlos Lupi (Trabalho e Emprego), Nelson Jobim (Defesa),

O atual secretário-geral do Itamaraty, Antônio Patriota, comandará o Ministério de Relações Exteriores e o senador Aloizio Mercadante, a pasta de Ciência e Tecnologia.

O ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, foi nomeado ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Antes disso, Dilma havia anunciado outros dez nomes para seu futuro gabinete: Paulo Bernardo (Comunicações), Ideli Salvati (Pesca e Aquicultura), Garibaldi Alves Filho (Previdência Social).

Edison Lobão vai para Minas e Energia, o deputado federal Pedro Novais chefiará a pasta de Turismo e o ex-deputado Wagner Rossi permanece no Ministério da Agricultura.

O ex-governador do Rio Moreira Franco assumirá a Secretaria de Assuntos Estratégicos e a deputada federal Maria do Rosário assume os Direitos Humanos da Presidência.

Na Secretaria de Comunicação Social, a jornalista Helena Chagas assumirá o posto de Franklin Martins, e o senador Alfredo Nascimento retorna ao Ministério dos Transportes.

Os primeiros nomes confirmados foram os de Antonio Palocci (Casa Civil), Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), José Eduardo Cardozo (Justiça), Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento) e Alexandre Tombini (Banco Central).

Notícias relacionadas