Dilma confirma dois últimos nomes e fecha ministério

Dilma Rousseff/AP
Image caption Dilma Rousseff decidiu não criar nenhuma nova pasta

A assessoria da presidente eleita Dilma Rousseff anunciou nesta quarta-feira os nomes de mais dois ministros, fechando os integrantes do gabinete do governo que toma posse em primeiro de janeiro.

A deputada federal Iriny Lopes (PT-ES) irá chefiar a Secretaria de Políticas para as Mulheres, e Afonso Florence, deputado federal do PT-BA, a pasta do Desenvolvimento Agrário.

Lopes, de 54 anos de idade foi reeleita em 2010 para seu terceiro mandato na Câmara Federal.

No PT desde 1984, ela já foi presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da casa, em 2005.

Florence, de 60 anos de idade, foi eleito deputado federal este ano. Ele ocupou o cargo de secretário de Desenvolvimento Urbano no governo do governador baiano Jaques Wagner.

Composição

Com a conclusão das indicações, o PT de Dilma acumulou um total de 17 dos 37 ministérios.

Não foi criada nenhuma nova pasta.

O PT ficou com os ministérios da Fazenda (Guido Mantega), Ciência e Tecnologia (Alozio Mercadante), Secretaria-Geral (Gilberto Carvalho), Justiça (José Eduardo Cardozo), Casa Civil (Antonio Palocci), Comunicações (Paulo Bernardo), Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Fernando Pimentel), Planejamento (Miriam Belchior), Pesca (Ideli Salvatti), Direitos Humanos (Maria do Rosário), Educação (Fernando Haddad), Saúde (Alexandre Padilha), Igualdade Racial (Luiza Bairros), Desenvolvimento Social (Tereza Campelo), Secretaria de Relações Institucionais (Luiz Sérgio), Secretaria das Mulheres (Iriny Lopes) e Desenvolvimento Agrário (Afonso Florence).

O PMDB, do vice-presidente Michel Temer, fica com seis pastas: Agricultura (Wagner Rossi), Turismo (Pedro Novais), Previdência (Garibaldi Alves), Minas e Energia (Edison Lobão), Secretaria de Assuntos Estratégicos (Moreira Franco) e Defesa (Nelson Jobim).

O PSB, com duas: Integração Nacional (Fernando Bezerra Coelho) e Portos (Leônidas Cristiano).

O PC do B mantém o ministério do Esporte (Orlando Silva), o PR fica com o dos Transportes (Alfredo Nascimento), o PDT com o do Trabalho (Carlos Lupi), e o PP com o das Cidades (Mário Negromonte).

Os ministros sem filiação partidária são Antonio Patriota, das Relações Exteriores, Helena Chagas, da Comunicação Social, Izabella Teixeira, do Meio Ambiente e Ana de Hollanda, de Cultura.

Também sem filiação estão outros integrantes de alto escalão do governo de Dilma: Alexandre Tombini, escolhido para a presidência do Banco Central; José Elito Carvalho Siqueira, para o Gabinete da Segurança Institucional, Jorge Hage, para a Controladoria-Geral da União, e Luís Inácio Lucena Adams, para a Advocacia-Geral da União.

Notícias relacionadas