Italiano ‘invasor de campos’ é preso em Abu Dhabi após anunciar fuga pelo Facebook

Ferri invade o campo na partida entre Inter e Mazembe
Image caption Ferri invadiu o campo na final do Mundial de Clubes, em Abu Dhabi

Um italiano que ganhou fama nacional ao invadir campos de futebol em várias partes do mundo foi preso em Abu Dhabi após anunciar seus planos de fugir do país por sua página no Facebook.

Mario Ferri, de 23 anos, conhecido na Itália como Falco (Falcão), havia sido detido e teve seu passaporte retido pelas autoridades locais após invadir o campo da final do Mundial de Clubes, entre Internazionale de Milão e Mazembe, do Congo.

Ferri interrompeu a partida carregando uma faixa do Milan, rival do Internazionale, e uma camiseta com o slogan “Free Sakineh”, em referência à iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento.

Sua tradicional camiseta azul com um logo do superhomem trazia ainda uma série de nomes de empresas que passaram a patrociná-lo graças à sua fama na Itália.

Convocação

A “carreira” de Ferri como invasor de campos começou em maio, na Itália, quando ele interrompeu uma partida entre Sampdoria e Napoli, pelo campeonato local, com uma faixa pedindo que o técnico Marcelo Lippi convocasse o polêmico jogador Antonio Cassano para a seleção nacional que disputaria a Copa do Mundo no mês seguinte.

Após a eliminação da Itália, sem Cassano, na primeira fase da Copa, na África do Sul, Ferri invadiu o campo na partida semifinal entre Espanha e Alemanha, com uma faixa dizendo “Lippi, eu te avisei”.

Ele chegou a participar de um famoso programa esportivo de TV na Itália após interromper a partida entre Real Madrid e Milan pela Liga dos Campeões da Europa, em outubro.

Apesar de enfrentar vários processos na Itália por suas invasões de campo, Ferri se aventurou neste mês em Abu Dhabi, para completar invasões em três continentes diferentes.

Mas ele acabou detido por um dia e impedido de sair do país enquanto respondesse ao processo pela interrupção da final do Mundial de Clubes, no dia 18 de dezembro.

Clandestino

Em um vídeo postado em sua página no Facebook, ele anunciou então a intenção de embarcar clandestinamente no compartimento de carga de um navio de cruzeiro ancorado em Dubai, também nos Emirados Árabes Unidos.

Ele acabou sendo preso na embarcação e levado de volta para terra, apesar de afirmar que queria apenas visitar o navio, ancorado em Dubai na véspera do Natal antes de seguir a Omã, Iêmen e Egito.

Ele agora está proibido de sair de seu hotel até o julgamento, previsto para a semana que vem.

Ferri se disse surpreso com a rigidez do sistema judicial dos Emirados Árabes Unidos e afirmou que não esperava “esse tratamento”.

Em uma entrevista a um site italiano, ele afirmou que, após a invasão do campo em Abu Dhabi, ele decidiu “parar e não repetir mais atos desse tipo”.